Uma estratégia transversa e mundial

O neoliberalismo não pode sustentar suas medidas econômicas a longo prazo, a democracia é seu grande inimigo, por isso precisam da intervenção judicial e da cobertura da mídia para se imporem. Temos que romper este cerco da mídia e salvar o sistema democrático com meios progressistas e alternativos de comunicação de todo o mundo

Uma estratégia transversa e mundial
Uma estratégia transversa e mundial (Foto: Reprodução)

Por que ouvimos cada vez mais falar aos trabalhadores contra os sindicatos e a escola pública?

Por que ouvimos os pequenos empresários acreditarem nas receitas dos ajustes no Estado?

Por que vemos funcionários públicos aceitarem que seus anos de trabalho aumentam?

Por que vemos mais e mais pessoas empobrecidas imitando como androides o discurso corporativo das oligarquias?

A resposta é: eles foram colonizados pelos milionários da grande mídia corporativa.

Na Argentina Macri representa o interesse econômico de 5% da população, mas foi votado pela maioria dos argentinos, isso só pode ser conseguido com uma lavagem cerebral sistemática da mídia.

A articulação mundial não está centrada no progressismo, mas no discurso único dos banqueiros. Temos que quebrar o cerco da mídia hegemônica.

O neoliberalismo tornou-se mais agressivo, mais abusivo, mais impertinente e violento.

Antes as oligarquias usavam as forças militares para impor seus regimes, mas agora usam o sistema judicial para impor sua determinação política e, por trás delas, é sempre a mão invisível da CIA.

A mídia hegemônica só defende grandes corporações, grandes bancos. Eles usurparam a democracia.

É por isso que a partir do 247 temos que criar uma coluna de vídeos chamada: Perseguidos e presos políticos na América Latina. E que sejadivulgado por '' El Destape '' de Roberto Navarro na Argentina, pela MEDIAPART da França.

Temos de aparecer em rede com a TV Le Media www.lemediatv.fr. Uma televisão francesa alternativa e pluralista que não é submetida às grandes corporações.

Também seria importante fazer conexões com a revista Orsai do argentino Hernán Casciari em Barcelona e com Democracy Now dos EUA.

A imprensa que imita o discurso imposto em Washington abandonou o compromisso com o cidadão e o jornalismo investigativo.

A batalha dialética tem que ser abordada pela internet e por redes sociais alternativas.

O neoliberalismo não pode sustentar suas medidas econômicas a longo prazo, a democracia é seu grande inimigo, por isso precisam da intervenção judicial e da cobertura da mídia para se imporem.

Temos que romper este cerco da mídia e salvar o sistema democrático com meios progressistas e alternativos de comunicação de todo o mundo.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247