Vai embora de vez, capiroto

"O Brasil voltará a ser um pais lindo para viver e para conviver. Onde todos terão acesso a tudo o que queiram e precisem", escreve Emir Sader

www.brasil247.com -
(Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)


Por Emir Sader

Quem gostava, se arrependeu, não gosta mais. Quem já não gostava mais, não aguenta um minuto mais.

Vai embora de vez, capiroto. Ninguém aguenta um minuto. Todo mundo quer te ver pelas costas, indo embora de vez.

Você só deixou desgraceiras. Teu tempo foi o pior tempo para todo mundo no Brasil. Não vai deixar saudade em ninguém.

Só queremos esquecer, só lembrar, para comparar, de como o Brasil vai ter mudado para melhor, para muito melhor.

Ninguém conhecia o capiroto, veio da escuridão e deixou tudo escuro. Sem luz, com ódio e miséria.

Vai ser difícil explicar pros filhos e pros netos como um capiroto desses chegou lá. Como ficou quatro anos, que pareciam uma eternidade.

Quando era inevitável, por uma armação diabólica, o capiroto chegou lá, nem quisemos ver. Fomos ao cinema ver um filme atrás do outro, como se, na saída, fosse tudo um pesadelo e o capiroto era uma desgraça que não era verdade.

E cada dia era um século, era um tormento, parecia que não ia ter fim nunca. Foram os piores dias da vida de cada um. Os mais esquecíveis e, talvez, inesquecíveis.

Agora, vai embora de vez. Ninguém mais suporta nem uma manha sequer.

Acordar que o Brasil agora já está virando outro. Já tiramos toneladas das costas. Descemos da cama pra vida, voando, cantando, felizes, cheios de esperança.

Até ele diz que está cansado. Cansado de não fazer nada. 81 minutos por semana supostamente de trabalho.

Na verdade, está na contagem regressiva para prestar contas de alguns ou de todos os malfeitos que ele fez. Cada manhã sabe que é uma manhã a menos com proteções jurídicas, com liberdade, com café na cama.

Chegou a hora de ir embora. Chegou a hora de nos deixar em paz. De nos deixar termos nosso tempo de liberdade, de justiça, de alegria, de esperança.

Chegou o tempo de Lula. Chegou o tempo em que o Brasil será de novo um país bom pra viver. Chegou o tempo de voltar a sermos orgulhosos de sermos brasileiros. De não termos vergonha de sermos o país identificado com o capiroto.

Vamos valorizar como nunca sermos brasileiros, termos o direito de voltar a construir o pais como um pais nosso, um pais de todos.

Não tropeçamos mais em familias inteiras vivendo nas ruas, abandonadas. Lula sempre disse que governar é cuidar das pessoas. Para essas milhares de pessoas não há governos, não há quem cuide deles.

Todos terão governo, todos serão cuidados ninguém será mais abanado – que é a pior coisa que existe e que foi marca dos tempos desastrosos do capiroto.

O Brasil voltará a ser um pais lindo para viver e para conviver. Onde todos terão acesso a tudo o que queiram e precisem.

Para que isso aconteça, vai embora de vez, capiroto. Vai viver tuas coisas, o que merece e o que terá que enfrentar.

Recuperamos o direito de termos um futuro, de termos um presente e de resgatarmos o passado bom que tivemos. De dignidade, de solidariedade, de alegria.

Vem, volta, Lula! Te queremos, te precisamos, te necessitamos. Queremos um tempo de democracia, de liberdade, de direitos, de um governo que cuide de todos, antes de tudo dos mais necessitados.

Um Lula que vem para resgatar a esperança, que vem para resgatar o que de melhor temos e eliminar da vida de todos o que de pior vivemos. O dia da vitória do Lula foi dos melhores dias das nossas vidas.

Vai embora de vez, capiroto!

Volta, Lula!

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247