“Ânsia de vômito”, escreve o jurista Kakay sobre as conversas Moro-Dallagnol

“Instrumentalizaram o Poder Judiciário e o Ministério Público Federal”, escreveu o jurista Antonio Carlos de Almeida, o Kakay. “Causa ânsia de vômito ver a falta de limites do grupo para fraudar os processos”

Antonio Carlos de Almeida, o Kakay, e Sergio Moro
Antonio Carlos de Almeida, o Kakay, e Sergio Moro (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com Fórum - O advogado criminalista Antonio Carlos de Almeida, o Kakay, afirmou em artigo publicado no portal Poder 360, nesta sexta-feira (5), que a atuação parcial do ex-juiz Sergio Moro com procuradores da Lava Jato lhe causa “ânsia de vômito” e que grupo provocou um “estrago” no processo penal e na Constituição.

“Instrumentalizaram o Poder Judiciário e o Ministério Público Federal”, afirmou o advogado. “Causa ânsia de vômito ver a falta de limites do grupo para fraudar os processos”, completou.

Dados da Operação Spoofing obtidos pela defesa do ex-presidente Lula através de decisão judicial do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), trouxeram mais uma mostra da atuação parcial do ex-juiz na condução do julgamento do ex-presidente.

Trechos do material vazados na quinta-feira (28) pela Revista Veja mostram Moro orientando Dallagnol, questionando se o Ministério Público já teria uma “denúncia sólida o suficiente” para apresentar contra Lula sob o “risco” de serem “atropelados” e tratando de outros assuntos que não deveria estar a par.

Para Kakay, a articulação de Moro com procuradores mostra que o grupo “criou um Código de Processo Penal de Curitiba e uma Constituição para chamarem de sua”. E completa: “Um escárnio. Um ultraje. Um acinte”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email