Barroso defende reforma política que, segundo ele, 'parece que não vai sair'

Ministro do STF Luís Roberto Barroso, voltou a defender a necessidade urgente de uma reforma política e afirmou que o país precisa "desesperadamente" encontrar um novo modelo visando esta finalidade; para ele, "é triste constatar que aparentemente ela não vai sair. Ao lado da impunidade, o sistema político brasileiro é responsável por boa parte da impunidade que estamos enfrentando"; "É preciso incrementar a representatividade do parlamento; uma reforma política precisa fundamentar a governabilidade", completou

Ministro do STF Luís Roberto Barroso, voltou a defender a necessidade urgente de uma reforma política e afirmou que o país precisa "desesperadamente" encontrar um novo modelo visando esta finalidade; para ele, "é triste constatar que aparentemente ela não vai sair. Ao lado da impunidade, o sistema político brasileiro é responsável por boa parte da impunidade que estamos enfrentando"; "É preciso incrementar a representatividade do parlamento; uma reforma política precisa fundamentar a governabilidade", completou
Ministro do STF Luís Roberto Barroso, voltou a defender a necessidade urgente de uma reforma política e afirmou que o país precisa "desesperadamente" encontrar um novo modelo visando esta finalidade; para ele, "é triste constatar que aparentemente ela não vai sair. Ao lado da impunidade, o sistema político brasileiro é responsável por boa parte da impunidade que estamos enfrentando"; "É preciso incrementar a representatividade do parlamento; uma reforma política precisa fundamentar a governabilidade", completou (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, voltou a defender a necessidade urgente de uma reforma política e afirmou que o país precisa "desesperadamente" encontrar um novo modelo visando esta finalidade. Barroso também defendeu uma maior participação da iniciativa privada para fortalecer a economia.

Sobre a reforma política, o ministro enfatizou que "é triste constatar que aparentemente ela não vai sair. Ao lado da impunidade, o sistema político brasileiro é responsável por boa parte da impunidade que estamos enfrentando". "É preciso incrementar a representatividade do parlamento; uma reforma política precisa fundamentar a governabilidade", completou.

Para o ministro, o Estado deve se afastar de diversas atividades e incentivar a inciativa privada e o empreendedorismo. "A sociedade é viciada em Estado. A iniciativa privada é a melhor forma de criação de riquezas, precisamos revalorizar a iniciativa privada e o empreendedorismo no Brasil", destacou.

"As pessoas não gostam de risco, preferem financiamento público. Não gostam de concorrência, preferem reserva de mercado, estão sempre atrás de favorecimento", completou.

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247