Bolsonaro prepara novas "bombas" para 2020, diz Eliane Cantanhêde

“São bombas em forma de medidas provisórias ou decretos em elaboração nas áreas técnicas do governo”, destaca a jornalista. “Um projeto prevê subsídios para a conta de luz de templos evangélicos, ops!, religiosos. Outro escancara reservas indígenas às mais diversas formas de exploração, sem dó nem piedade", afirma

(Foto: Reprodução | Alan Santos/PR)

247 - Para a jornalista Eliane Cantanhêde , avalia que neste início de ano “vão surgindo as bombas a serem lançadas em 2020” pelo governo Jair Bolsonaro. “São bombas em forma de medidas provisórias ou decretos em elaboração nas áreas técnicas do governo”, ressalta. 

“Um projeto prevê subsídios para a conta de luz de templos evangélicos, ops!, religiosos. Outro escancara reservas indígenas às mais diversas formas de exploração, sem dó nem piedade. Resta saber o que o Ministério da Economia  acha de um, e a comunidade internacional, do outro”, avalia. 

“Em resumo: aos evangélicos, tudo; aos índios, as migalhas. Estes não terão direito a veto ao que for imposto para suas terras, mas poderão ser recompensados pelas atividades ali instaladas. Assistirão à devastação de camarote, estendendo o pires para colher as moedas. Quando abrirem os olhos, cadê as suas reservas? Puff! Evaporaram”, afirma Cantanhêde. 

“Bolsonaro não esconde os privilégios para seus preferidos, que estão na sua base de apoio no Congresso, na sua base eleitoral no Rio de Janeiro e nas suas relações de amizades. Segundo levantamento do Estado, 30% da agenda pública de Bolsonaro no seu primeiro ano foi dedicada a militares e evangélicos”, observa. 

“Quanto aos índios, pobres, distantes, desarticulados, eles estão entregues à própria sorte”, completa. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247.Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247