Cacique diz que Bolsonaro trabalha para destruir direitos dos indígenas

“O governo brasileiro não tem visão para perceber que os direitos dos povos indígenas são um grande potencial. O mundo inteiro tem falado do papel da floresta, da vida sustentável, em especial da Amazônia, mas o governo quer destruir tudo”, afirmou o cacique Almir Suruí, contra projeto de lei que trata da demarcação de terras indígenas

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters)


247 - O cacique Almir Suruí afirmou ao jornal O Globo nesta quarta-feira, 16, que o governo de Jair Bolsonaro trabalha para destruir os direitos coletivos dos indígenas brasileiros, ao denunciar o projeto de lei que trata da demarcação de terras indígenas e está na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJC) da Câmara dos Deputados.

O texto transfere da União para o Congresso a última decisão na demarcação das terras indígenas, com poder de rever as áreas já demarcadas e de proibir a ampliação das reservas já existentes.

“Esse projeto representa um retrocesso histórico, que vem ganhando força agora com esse governo que incentiva, em seu discurso e ações, a destruição dos direitos coletivos dos povos indígenas brasileiros”, declarou.

“O governo brasileiro não tem visão para perceber que os direitos dos povos indígenas são um grande potencial. O mundo inteiro tem falado do papel da floresta, da vida sustentável, em especial da Amazônia, mas o governo quer destruir tudo. Não tem preocupação com equilíbrio climático, ambiental e cultural. O Brasil é respeitado porque tem floresta e o protagonismo de ainda ter floresta em pé é dos povos indígenas”, criticou.

Nesta quarta-feira, centenas de indígenas de variados povos realizaram um protesto em Brasília contra a tramitação do projeto de lei. Os manifestantes foram recebidos a bomba quando chegaram em frente à sede da Fundação Nacional do Índio (Funai), em Brasília.

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247