Comissão de Anistia retira da pauta julgamento de indenização a Dilma

Comissão de Anistia retirou da pauta o julgamento da ação movida pela presidente deposta Dilma Roussef no qual pedia indenização pela perseguição e tortura a que foi submetida durante a ditadura militar; relatora alegou não ter tido tempo hábil para analisar o pleito pela sua “alta complexidade”; ministra Damares Alves já havia se manifestado contra a concessão do benefício

247 - A Comissão de Anistia retirou da pauta o julgamento da ação movida pela presidente deposta Dilma Roussef no qual pedia indenização pela perseguição e tortura a que foi submetida durante a ditadura militar. Relatora do caso, Any Ávila Assunção, alegou não ter tido tempo hábil para analisar o pleito devido a sua “alta complexidade”. 

A ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves (a quem o colegiado está submetido), porém já havia se manifestado contra a concessão do benefício à Dilma e promovido mudanças na estrutura da comissão, ampliando o número de membros, incluindo a indicação de pessoas contrárias ao pagamento das indenizações, além de servidores do Ministério da Justiça, dentre eles apoiadores da candidatura de Jair Bolsonaro (Leia no Brasil 247). 

Em março deste ano, Damares ironizou da situação dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma ao afirmar que "tem casos de dois ex-presidente que vamos analisar. Será que falo os nomes deles? É Luiz Inácio Lula da Silva. Acho que é isso, né? E a ex-presidente Dilma Rousseff. Ex-presidente. Não presidenta", disse na ocasião.

O processo de Dilma integra um conjunto de 18 casos que devem ser julgados pelo colegiado nesta quarta-feira (26). 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247