Cunha, que golpeou Dilma, é condenado a 24 anos de prisão por roubo na Caixa

Operador do golpe contra a presidente honesta Dilma Rousseff, Eduardo Cunha foi condenado a 24 anos de prisão por desvios na Caixa; é a segunda derrota do golpe PSDB-MDB no mesmo dia, uma vez que esta sexta também trouxe a queda de Pedro Parente; além de Cunha, o ex-ministro e também ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (MDB-RN) foi condenado a cumprir uma sentença de 8,8 anos de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro

Ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, é escoltado por policiais federais em Curitiba 20/10/2016 REUTERS/Rodolfo Buhrer
Ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, é escoltado por policiais federais em Curitiba 20/10/2016 REUTERS/Rodolfo Buhrer (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (MDB-RJ) foi condenado nesta sexta-feira (1) pelo juiz federal da 10ª Vara em Brasília, Vallisney de Souza Oliveira, a uma pena de 24 anos e dez meses de prisão por desvios e irregularidades na Caixa Econômica Federal no âmbito da Operação Sépsis. Cunha foi considerado culpado de ter incorrido nos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e violação de sigilo funcional.

Cunha, que está preso em Curitiba, já havia sido condenado a uma pena de 14,6 anos de reclusão no âmbito da Operação Lava Jato. Além de Cunha, o ex-ministro e também ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (MDB-RN) foi condenado a cumprir uma sentença de 8,8 anos de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro.

O juiz também decretou que os réus perdessem os bens e valores obtidos por meio do esquema e determinou que Cunha pagasse multa de R$ 7 milhões. Já Alves terá que pagar uma multa no valor de R$ 1 milhão.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247