Damares afasta integrantes do movimento negro em represália a pedido de impeachment

Ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, cancelou os mandatos de sete pessoas que faziam parte do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial. Afastamento acontece após a Coalização Negra por Direitos protocolar um pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro

Damares Alves
Damares Alves (Foto: Júlio Nascimento/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, determinou o cancelamento dos mandatos de sete pessoas filiadas a entidades e instituições que integram a Coalizão Negra por Direitos e que faziam parte do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial. O afastamento aconteceu um dia após a Coalização protocolar um pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro junto à Câmara dos Deputados. 

De acordo com reportagem do jornal O Globo, o ministério informou que o desligamento teria acontecido porque algumas das entidades que integravam o conselho estariam no 4º mandato consecutivo, o que não seria permitido pela legislação. Os membros do conselho foram escolhidos por meio da sociedade civil  2018, e o mandato atual é válido para os anos de 2019 e 2020. 

A portaria também anulou as designações de integrantes do conselho que representavam entidades historicamente contrárias ao governo do presidente Jair Bolsonaro. Foi o caso da representante da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Coalizão Negra por Direitos afirmou que irá ingressar na Justiça para reverter as exonerações.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247