Declarações de Bolsonaro nos atos antidemocráticos vão dificultar acordo sobre precatórios, diz Lira

Em ano eleitoral, o governo considera o parcelamento dos precatórios fundamental, uma vez que isso permitiria o pagamento de benefícios sociais

www.brasil247.com - Arthur Lira e Jair Bolsonaro
Arthur Lira e Jair Bolsonaro (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira (9) que as ameaças golpistas de Jair Bolsonaro nas manifestações do 7 de setembro devem dificultar as negociações pelo parcelamento dos precatórios. Em ano eleitoral, o governo considera a medida fundamental, uma vez que ela permite o pagamento de benefícios sociais

“Nós esperamos que esse assunto se 'obstacule' um pouco pelas falas do 7 de setembro. Todos nós sabemos o quanto isso causou. Nós estávamos numa boa construção com o STF [Supremo Tribunal Federal] para que o CNJ [Conselho Nacional de Justiça] pudesse, junto com o Parlamento, regular essa questão dos precatórios, que eu reputo uma das mais importantes para o Brasil hoje”, afirmou Lira.

O deputado afirmou que a PEC dos precatórios tramita normalmente na Câmara e deve ser aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), antes de ser encaminhada a uma comissão especial. A proposta que deve ser prejudicada é a que foi elaborada pelo ministro Paulo Guedes (Economia) junto ao Judiciário. 

PUBLICIDADE

A solução de Guedes e Judiciário reduziria o limite de 2022 para R$ 39,9 bilhões -- de um total de R$ 89,1 bilhões previstos. (Com informações da Folha de S.Paulo). 

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email