Em entrevista, Feliciano ataca generais Mourão e Santos Cruz

O deputado federal Marcos Feliciano (Pode-SP), pastor evangélico, tem pautado sua ação parlamentar na defesa de extremadas posições conservadoras; um dos porta-vozes preferidos do presidente Jair Bolsonaro, de quem é um dos vice-líderes no Congresso, ele assumiu posição clara no embate entre o núcleo de extrema-direita inspirado nas posições de Olavo de Carvalho, e a ala militar, que se tornou alvo de seus ataques

Em entrevista, Feliciano ataca generais Mourão e Santos Cruz
Em entrevista, Feliciano ataca generais Mourão e Santos Cruz (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

247 - O deputado federal Marcos Feliciano (Pode-SP), pastor evangélico, tem pautado sua ação parlamentar na defesa de extremadas posições conservadoras. Um dos porta-vozes preferidos do presidente Jair Bolsonaro, de quem é um dos vice-líderes no Congresso, ele assumiu posição clara no embate entre o núcleo de extrema-direita inspirado nas posições de Olavo de Carvalho, e a ala militar, que se tornou alvo de seus ataques.

Em entrevista ao jornalista Ranier Bragon, na Folha de S.Paulo, o deputado evangélico afirmou que o vice-presidente, Hamilton Mourão, e o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Alberto dos Santos Cruz, minam a autoridade do presidente e o fazem parecer um estelionatário eleitoral.

Feliciano ataca o general Santos Cruz, cujo Ministério comanda a Secretaria de Comunicação do Governo, pela posição que adotou ao rechaçar a proibição de Bolsonaro, movido por preconceito homofóbico, a um anúncio do Banco do Brasil.

Sobre o general Hamilton Mourão, Feliciano diz que há "um milhão de casos" em que o vice-presidente se contrapõe a posições de Bolsonaro. "O presidente falou sobre a embaixada de Israel ser transferida [de Tel Aviv] para Jerusalém, o Mourão disse que é contra. O presidente é contra o aborto, o Mourão disse que é a favor. O presidente fala uma coisa da China, o Mourão vem e diz outra. Quando o vice desdiz rotineiramente o presidente, ele mina a autoridade presidencial".

Leia a íntegra

Ao vivo na TV 247 Youtube 247