Ex-ministro Arthur Chioro defende a Sputnik V: 'cada vacina a menos é uma morte a mais'

"A situação é delicada e a ninguém pode interessar descreditar a qualidade técnico-científica da Anvisa, nem tampouco levantar um mar de suspeições sobre uma boa vacina concebida pelo centenário instituto russo Gamaleya", afirmou o ex-ministro Arthur Chioro em análise publicada junto o professor da Unifesp Edmundo M. Oliveira

Ex-ministro da Saúde Arthur Chioro
Ex-ministro da Saúde Arthur Chioro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro da Saúde Arthur Chioro defendeu a importação da vacina russa Sputnik V em meio a embates da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que resolveu barrar o imunizante no Brasil sob o argumento de que a vacina e contém vírus replicante (adenovírus capaz de reprodução, ou RCA), mas não chegou a fazer os testes necessários para barrar a importação do imunizante.

"Cada vacina a menos é uma morte a mais", disse Chioro, em análise publicada no jornal Folha de S.Paulo junto com o professor da Unifesp Edmundo M. Oliveira, que também é jornalista, consultor e assessor da bancada estadual do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo.

"A situação é delicada e a ninguém pode interessar descreditar a qualidade técnico-científica da Anvisa, nem tampouco levantar um mar de suspeições sobre uma boa vacina concebida pelo centenário instituto russo Gamaleya. Esta vacina –reconhecida pela mais credível publicação científica internacional, a revista Lancet– já vem sendo aplicada em 62 países do mundo", acrescentaram os autores do texto.

"Ainda acreditamos no poder de discernimento técnico dos profissionais da Anvisa. É a partir daí que urge resolver o quanto antes o problema. E há um caminho rápido e imediato para tanto", afirmaram.

Inscreva-se na 247, seja membro e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email