FHC não unifica nem o PSDB

Questionado pelo jornal Estado de S. Paulo se acredita que FHC seria uma opção da direita para substituir Michel Temer, o ex-governador de São Paulo e vice-presidente nacional do PSDB, Alberto Goldman, disse que o nome é FHC não é adequado; "Acho difícil, e não pela idade. Sabemos que ele teria objeções muito fortes de vários setores. Não é nenhuma unanimidade. Do ponto de vista popular, causa muitas reações negativas. Não acho que a figura dele seja a mais adequada neste momento", afirmou Goldman

Questionado pelo jornal Estado de S. Paulo se acredita que FHC seria uma opção da direita para substituir Michel Temer, o ex-governador de São Paulo e vice-presidente nacional do PSDB, Alberto Goldman, disse que o nome é FHC não é adequado; "Acho difícil, e não pela idade. Sabemos que ele teria objeções muito fortes de vários setores. Não é nenhuma unanimidade. Do ponto de vista popular, causa muitas reações negativas. Não acho que a figura dele seja a mais adequada neste momento", afirmou Goldman
Questionado pelo jornal Estado de S. Paulo se acredita que FHC seria uma opção da direita para substituir Michel Temer, o ex-governador de São Paulo e vice-presidente nacional do PSDB, Alberto Goldman, disse que o nome é FHC não é adequado; "Acho difícil, e não pela idade. Sabemos que ele teria objeções muito fortes de vários setores. Não é nenhuma unanimidade. Do ponto de vista popular, causa muitas reações negativas. Não acho que a figura dele seja a mais adequada neste momento", afirmou Goldman (Foto: Aquiles Lins)

247 - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem se transformado numa voz cada vez menos ouvida dentro do PSDB. Questionado pelo jornal Estado de S. Paulo se acredita que FHC seria uma opção da direita para substituir Michel Temer, o ex-governador de São Paulo e vice-presidente nacional do PSDB, Alberto Goldman, disse que o nome é FHC não é adequado. 

"Acho difícil, e não pela idade. Sabemos que ele teria objeções muito fortes de vários setores. Não é nenhuma unanimidade. Do ponto de vista popular, causa muitas reações negativas. Não acho que a figura dele seja a mais adequada neste momento", afirmou Goldman. 

"O PMDB e o Michel vão participar de qualquer caminho que se adote, até porque ele tem o poder na mão. Não há saída que não envolva o presidente atual. Ele não é apenas, mas terá que ser parte da solução. Até porque a decisão da renúncia está na mão dele", disse o tucano. 

Sobre os candidatos a substituir Temer, Goldman descartou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DE). "Ele não tem um perfil de presidentre da República. Não é suficentemente sênior. Falta alguma coisa para ele", afirmou. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247