Ministra destaca Brasil na COP21: "Roubamos a cena"

Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, chefe da delegação brasileira, comemorou o texto final do acordo firmado na capital francesa; "O País está muito satisfeito com o acordo, que reflete as visões que o governo defendeu"; ministra citou os pontos sobre o limite de aumento da temperatura até 2100 e a decisão sobre recursos financeiros de US$ 100 bilhões; "É tudo que o Brasil defende. Nós chegamos com uma INDC forte, e roubamos a cena"

Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, chefe da delegação brasileira, comemorou o texto final do acordo firmado na capital francesa; "O País está muito satisfeito com o acordo, que reflete as visões que o governo defendeu"; ministra citou os pontos sobre o limite de aumento da temperatura até 2100 e a decisão sobre recursos financeiros de US$ 100 bilhões; "É tudo que o Brasil defende. Nós chegamos com uma INDC forte, e roubamos a cena"
Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, chefe da delegação brasileira, comemorou o texto final do acordo firmado na capital francesa; "O País está muito satisfeito com o acordo, que reflete as visões que o governo defendeu"; ministra citou os pontos sobre o limite de aumento da temperatura até 2100 e a decisão sobre recursos financeiros de US$ 100 bilhões; "É tudo que o Brasil defende. Nós chegamos com uma INDC forte, e roubamos a cena" (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo federal saiu satisfeito da 21ª Conferência do Clima em Paris (COP 21). A avaliação é da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, chefe da delegação brasileira, que comemorou o texto final do acordo firmado na capital francesa. 

"O País está muito satisfeito com o acordo, que reflete as visões que o governo defendeu". A ministra citou os pontos sobre o limite de aumento da temperatura até 2100 e a decisão sobre recursos financeiros de US$ 100 bilhões. "É tudo que o Brasil defende. Nós chegamos com uma INDC forte, e roubamos a cena".

A ministra aproveitou para destacar a importância que o documento dá para que as emissões de carbono sejam balanceadas por sumidouros do gás a partir do meio do século. 

"Esse papel de sumidouro é o que queremos nos tornar com a meta do reflorestamento e recuperação de pastagens. Com isso viramos um player para a solução".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email