Quebra de sigilo alcança quatro ex-assessores de Carlos e Flávio Bolsonaro em investigação sobre "rachadinhas"

Quebra dos sigilos bancários e fiscal foi determinada pelo juiz da 27ª Vara Criminal, Flávio Itabaiana, e diz respeito ao tempo em que o ex-assessor Fabrício Queiroz, que está preso, trabalhou no gabinete de Flávio Bolsonaro

Carlos e Flávio Bolsonaro
Carlos e Flávio Bolsonaro (Foto: Reprodução/Facebook)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Quatro ex-assessores do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) tiveram seus sigilos bancário e fiscal quebrados na investigação que apura a existência de um esquema de “rachadinha” no gabinete do irmão, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), quando este ocupava uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. 

Quebra dos sigilos veio após Carlos perder o direito ao foro privilegiado, como resultado do entendimento da 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a suspensão de um artigo da Constituição Fluminense que previa que vereadores também possuíam a prerrogativa de serem julgados por desembargadores. 

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, a fisiculturista Andrea Siqueira Valle, ex-cunhada do presidente Jair Bolsonaro, Claudionor Gerbatim de Lima, Marcio da Silva Gerbatim (sobrinho e ex-marido da mulher de Queiroz, Marcia Aguiar, que encontra-se foragida) e Nelson Alves Rabello já trabalharam no gabinete de Carlos e, também, no de Flávio Bolsonaro. 

A quebra do sigilo foi determinada pelo juiz da 27ª Vara Criminal, Flávio Itabaiana, e diz respeito aos anos 2007 a 2018, tempo em que o ex-assessor Fabrício Queiroz, que está preso, trabalhou no gabinete de Flávio Bolsonaro. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email