Alta taxa de contaminação: cada grupo de 100 pessoas com Covid-19 infecta outras 130 em Manaus

O valor que mede a velocidade da transmissão de coronavírus está em 1,3 na capital do Amazonas, mesmo valor registrado em abril de 2020, época considerada como pico da pandemia no país

Profissional de saúde colhe amostras para teste de detecção de coronavírus em Taboão da Serra
Profissional de saúde colhe amostras para teste de detecção de coronavírus em Taboão da Serra (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O caos instalado no sistema de saúde de Manaus, além da falta de cilindros de oxigênio para pacientes com Covid-19, se deve à alta taxa contaminação pelo coronavírus. De acordo com o Comitê de Resposta Rápida – Enfrentamento Covid-19, a taxa de transmissão do vírus na capital do Amazonas está em em 1,3, o que significa que um grupo de 100 pessoas contaminadas transmitem o vírus para outras 130.

Para que a pandemia tenha sua disseminação controlada ou até mesmo reduzida, o número precisa ser inferior a 1. Caso contrário, o valor representa que a disseminação da doença está acelerada.

“Nós estamos com uma taxa de transmissão de 1,3. Esse indicador mede a velocidade de crescimento do número de casos. Quando fica acima de 1, significa que o número de casos está aumentando”, explica a presidente da Comissão Estadual de Controle de Infecção em Serviços de Saúde da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Tatyana Amorim.

A velocidade de transmissão registrada atualmente em Manaus é a mesma vista em abril de 2020, época considerada o pico da pandemia no país.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247