Criticada por secretário de Bolsonaro, lei Aldir Blanc é sancionada

A Lei Aldir Blanc foi sancionada nesta segunda-feira (29). O projeto prevê R$ 3,6 a trabalhadores da cultura

Aldir Blanc
Aldir Blanc (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Lei Aldir Blanc foi sancionada nesta segunda-feira (29). O projeto prevê R$ 3,6 a trabalhadores da cultura. O projeto ganhou o nome do compositor Aldir Blanc, que morreu este ano devido à pandemia do coronavírus.

A proposta prevê pagamento de R$ 600 para autônomos durante três meses, com possível prorrogação. E dá apoio a diversas atividades artísticas e culturais, especialmente de pequeno porte. Também trata de editais e prêmios culturais.

A lei prevê a destinação de R$ 3,6 bilhões da União para estados, Distrito Federal e municípios, na aplicação de ações emergenciais de apoio ao setor cultural durante o período de isolamento decorrente da pandemia do novo coronavírus.

O novo secretário especial de Cultura de Jair Bolsonaro, o ator Mario Frias, chamou de "esmola" o auxílio. A declaração foi feita em entrevista pelo YouTube ao canal do deputado federal Eduardo Bolsonaro.

“Artista não quer esmola. A maioria que eu vejo diz: ‘Me deixa trabalhar’. Não quero auxílio. A responsabilidade de sustentar a classe artística está na mão dos governadores”, disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247