Bolsonaro sanciona teto de ICMS para combustíveis e veta compensação a estados

Foi vetado o dispositivo segundo o qual a recomposição ocorreria a partir do serviço da dívida e não sobre o estoque

www.brasil247.com -
(Foto: Paulo Whitaker/Reuters)


BRASÍLIA (Reuters) - Jair Bolsonaro sancionou nesta quinta-feira (23) o projeto que estabelece um teto para as alíquotas de ICMS sobre os setores de combustíveis, gás, energia, comunicações e transporte coletivo.

Edição extra do Diário Oficial da União trouxe a publicação do texto, que agora passa a vigorar como lei, com 9 dispositivos vetados.

Executivo, Legislativo e Judiciário têm se mobilizado para adotar medidas que possam aliviar a alta dos preços dos combustíveis, que além de ampliar a pressão sobre a inflação, afeta a imagem política daqueles que disputarão algum cargo nas eleições gerais de outubro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O texto, votado pela última vez no Congresso em 15 de junho e sancionado nesta quinta-feira, não fixa uma alíquota para o ICMS cobrado sobre os setores citados, mas limita a incidência do tributo a aproximados 17% ao carimbá-los como "essenciais".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro sancionou parte do artigo que trata de um gatilho a ser acionado em caso de perda de arrecadação dos Estados e Distrito Federal por conta do teto do ICMS por meio da dedução de parcelas de dívidas desses entes federativos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foi vetado, no entanto, dispositivo segundo o qual a recomposição ocorreria a partir do serviço da dívida e não sobre o estoque, inovação que havia sido inserida pelo Senado e foi chancelada pela Câmara.

Outro trecho, que trazia instrumento para contemplar os cinco Estados da Federação que não se encontram endividados com a União, também foi vetado. Esse item previa que a compensação se daria, a partir de 2023, por meio de recursos da Exploração de Recursos Minerais que cabem à União.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email