Estudo aponta que custo econômico de pandemia é maior sem isolamento social

Pesquisadores dizem que o impacto inicial do isolamento é alto, mas a longo prazo, o custo final do isolamento é menor do que o de permitir a atividade econômica e deixar a doença se alastrar

Rio de Janeiro - Setores do comércio fechados durante o período de isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).
Rio de Janeiro - Setores do comércio fechados durante o período de isolamento social causado pela pandemia do novo coronavírus (covid-19). (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou dados que apontam que, com a pandemia, houve uma queda da demanda da indústria sem precedentes, que levou a utilização da capacidade instalada ao menor nível já registrado em 10 anos.

No entanto, o custo final do isolamento é menor do que o de permitir a atividade econômica e deixar a doença se alastrar. É o que aponta um estudo que comparou cinco levantamentos realizados em diferentes países.

De acordo com reportagem de João José Oliveira, do UOL, o economista Vitor Kayo, da MCM Consultores, responsável pela análise comparativa, a política de isolamento social pode aprofundar, no curto prazo, a recessão econômica causada pela pandemia, mas há evidências de que os benefícios econômicos no longo prazo mais do que compensam os custos.

"De modo geral, o Brasil iniciou as medidas de isolamento social relativamente cedo e, em termos econômicos, isso pode ser uma vantagem no pós-pandemia. Evidentemente, isso depende de as medidas serem eficazes para minorar a mortalidade e de uma estratégia de saída do distanciamento social bem elaborada pelas autoridades competentes", afirma o economista.

Estudos de Martin S. Eichnbaum e Sergio Rebelo, da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, e Mathias Trabant, da Universidade de Berlim, na Alemanha, o isolamento social nos EUA, por exemplo, diminui o pico da taxa de infectados de 4,7% para 2,5% e fez a taxa de mortalidade cair de 0,4% para 0,26%.

Os pesquisadores apontam que o isolamento provaca uma forte queda no consumo, chegando a queda semanal de 27%.

Mas, no longo prazo, a recuperação da economia é mais robusta, uma vez que há menos mortes e um maior número de trabalhadores saudáveis, afirma o estudo.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247