Novo presidente da Petrobrás: 'tudo à venda'

Numa entrevista em que "abriu o coração", o novo presidente da Petrobrás, o bolsonarista Roberto Castello Branco anunciou: não há nada na estatal que não possa ser privatizado, com exceção dos ativos relacionados às suas principais atividades, que são prospectar e explorar petróleo; haverá uma liquidação geral de ativos da companhia, que serão entregues a grandes grupos econômicos; "Não existe nada inegociável", confessou

Novo presidente da Petrobrás: 'tudo à venda'
Novo presidente da Petrobrás: 'tudo à venda'

247 - Numa entrevista em que "abriu o coração" ao jornal Valor Econômico, que busca ser o veiculador das posições do mercado, o novo presidente da Petrobrás, o bolsonarista Roberto Castello Branco anunciou: não há nada na estatal que não possa ser privatizado, com exceção dos ativos relacionados às suas principais atividades, que são prospectar e explorar petróleo. Ele informou que haverá uma liquidação geral de ativos da companhia, que serão entregues a grandes grupos econômicos. "Não existe nada inegociável", confessou

Durante o governo Temer, previa-se a venda de até 60% de dois polos de refino - no Nordeste e no Sul. Pois Branco acha pouco: "Achamos muito tímido [o atual plano]", disse. "Vamos estudar quais ativos e como estruturar a venda. Não existe nada inegociável", observou o executivo, que espera definir, até junho, o futuro da estatal em refino e na distribuição de combustíveis, segmento que a Petrobras lidera com a subsidiária BR Distribuidora. 

A gestão anterior abriu o capital da BR e havia a ideia de, em algum momento, vender o controle da distribuidora da Petrobrás. Na entrevista aos jornalistas André Ramalho, Rodrigo Polito e Francisco Góes, o presidente bolsonarista disse que há espaço para reduzir a participação da Petrobras no capital da distribuidora e que a venda do controle continua sendo avaliada.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247