Placar indica que Temer não entregará Previdência

Instalado no poder com a missão de retirar direitos dos trabalhadores, para garantir o pagamento dos juros da dívida interna, Michel Temer não deve conseguir aprovar a reforma da Previdência; mesmo com as suavizações propostas, hoje, ele tem apenas 95 votos favoráveis contra 251 votos contrários; levantamento indica que parlamentares, que buscarão a reeleição em 2018, não pretendem cometer suicídio político para salvar um governo altamente impopular, que chegou ao poder sem voto; sem a Previdência, Temer tentará se arrastar no poder até 2018

michel temer
michel temer (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Michel Temer hoje não tem condições de realizar seu principal objetivo: concluir a reforma da Previdência que desmonta o sistema de aposentadoria dos brasileiros.

Um levantamento feito pelo jornal Estado de S.Paulo indica que o governo perderia —e a derrota seria muito feia— caso a votação acontecesse hoje. 

A proposta, mesmo suavizada, seria rejeitada por 251 deputados, mesmo com a opção de suavizar o texto original. São necessários 308 votos a favor, o equivalente a três quintos dos 513 deputados.

Até o momento, o Estado ouviu 436 deputados, 85% da Câmara. Além dos 251 parlamentares contrários à proposta, 95 disseram que são favoráveis ao texto, ainda que com alguma ressalva; 35 estão indecisos; 54 não quiseram responder; e 1 se absteve. 77 deputados não foram encontrados.

Basicamente, diante da enorme rejeição popular à reforma de Temer, os parlamentares consideram suicídio político o apoio ao projeto de mudanças na Previdência.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247