Comissão dos EUA pede a Biden que boicote Olimpíada de Inverno na China em 2022

A Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos usou como pretexto a suposta perseguição religiosa e étnica do governo chinês contra o grupo muçulmano e turcormeno uigur

Presidente dos EUA, Joe Biden
Presidente dos EUA, Joe Biden (Foto: REUTERS / Tom Brenner)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos pediu, nesta quarta-feira, 21, que o presidente Joe Biden não envie representantes para a Olimpíada de Inverno de Pequim, na China, em 2022.

O grupo usou como pretexto a suposta perseguição religiosa e étnica do governo chinês contra o grupo muçulmano e turcormeno uigur. O suposto fato foi classificado pelo governo norte-americano como genocídio.

Em sua política para pressionar a China, Biden já havia sinalizado a possibilidade de  barrar a participação de atletas norte-americanos no evento.

Nesse sentido, a Comissão de Liberdade Religiosa pressiona num sentido favorável à atual política do governo dos EUA. 

No mesmo relatório em que pede boicote à Olimpíada de Inverno na China, a comissão defende que os EUA continuem a impor sanções financeiras e de vistos direcionadas a agências governamentais chinesas e funcionários responsáveis ​​por “violações sistemáticas, contínuas e flagrantes” à liberdade religiosa.

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email