“Aleluia vai queimar a língua de novo”, diz Solla sobre ponte Salvador-Itaparica

O deputado federal Jorge Solla (PT) lamentou a postura do colega de parlamento José Carlos Aleluia (DEM), que debochou da postura do governador Rui Costa de ir a China buscar financiamento para investimentos na Bahia, como a ponte Salvador-Itaparica, a Ferrovia Oeste-Leste e o Porto Sul; "Eu peço ao deputado que crie menos factoides para aparecer na imprensa e ajude mais a Bahia. A Bahia precisa dos R$ 600 milhões que o DEM pediu a Temer para travar. Esse dinheiro é real, foi aprovado no Senado e não há explicação se não a perseguição política para que ele não tenha caído nos cofres do estado", cobrou Solla

Jorge Solla
Jorge Solla (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O deputado federal Jorge Solla (PT) lamentou a postura do colega de parlamento José Carlos Aleluia (DEM), que debochou da postura do governador Rui Costa de ir a China buscar financiamento para investimentos na Bahia, como a ponte Salvador-Itaparica, a Ferrovia Oeste-Leste e o Porto Sul.

"Boa parte dos problemas de integração nos ônibus e do metrô se deveu à falta de fé de Aleluia que o metrô ia finalmente sair do papel. Enquanto secretário dos Transportes ele licitou as linhas de ônibus sem prever a integração. Agora, com a ponte, vai queimar a língua mais uma vez", rebateu o petista.

Solla recorda que Aleluia acumulou fracassos em sua gestão nos transportes de Salvador. "Ele prometeu na TV que ia ter ar condicionado, mas foi responsável por uma aberração de uma outorga onerosa que tirou dinheiro do sistema, e quem pagou foi o cidadão, com ônibus ruins e tarifa mais cara".

O deputado destacou ainda que o esforço do governador já tem gerado resultados, como o empréstimo de R$ 600 milhões de um banco europeu para investimentos em obras estruturantes, de requalificação de rodovias, construção do Aeroporto de Vitória da Conquista, entre outras, que gerarão emprego e renda no estado.

"Eu peço ao deputado que crie menos factoides para aparecer na imprensa e ajude mais a Bahia. A Bahia precisa dos R$ 600 milhões que o DEM pediu a Temer para travar. Esse dinheiro é real, foi aprovado no Senado e não há explicação se não a perseguição política para que ele não tenha caído nos cofres do estado", cobrou Solla.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247