Alibaba vai fundir unidades de entrega de alimentos na China para enfrentar Meituan, dizem fontes

A unidades do Alibaba que devem ser fundidas incluem a plataforma de entrega de comidas Ele.me e a empresa de alimentos e serviços de estilo de vida Koubei, disseram as fontes. 

Alibaba vai fundir unidades de entrega de alimentos na China para enfrentar Meituan, dizem fontes
Alibaba vai fundir unidades de entrega de alimentos na China para enfrentar Meituan, dizem fontes

(Reuters) - O Alibaba Group planeja fundir suas unidades de entrega de comida e levantar recursos para o negócio combinado, intensificando uma disputa com a Meituan Dianping, para dominar o mercado chinês de serviços sob demanda, disseram quatro fontes à Reuters.

A unidades do Alibaba que devem ser fundidas incluem a plataforma de entrega de comidas Ele.me e a empresa de alimentos e serviços de estilo de vida Koubei, disseram as fontes. O Alibaba está buscando levantar entre 3 bilhões e 5 bilhões de dólares para a unidade combinada, disse uma das fontes. A unidade pode ser avaliada em até 25 bilhões de dólares, disse outra fonte.

Uma força-tarefa do Alibaba baseada em Hong Kong está trabalhando na fusão e captação para a unidade combinada, segundo duas das fontes.

As unidades da Alibaba e a Meituan, apoiada pela gigante de mídia social e jogos Tencent Holdings, estão brigando pela supremacia no intenso mercado chinês online-to-offline (O2O), no qual aplicativos conectam usuários de smartphones com estabelecimentos físicos para fornecer entrega de refeições e outros produtos.

“Alibaba e Meituan são as duas principais empresas que podem oferecer serviços abrangentes de O2O”, disse Mo Jia, analista da consultoria de tecnologia Canalys. “As três unidades do Alibaba são complementares e empresa tem uma lógica estratégica para fundi-las em uma plataforma para competir com a Meituan.”

Uma das fontes disse que a captação deve acontecer mais para frente este ano. A fonte disse que a nova unidade também vai incliur a Hema Fresh, uma cadeia de supermercados que não aceita dinheiro e oferece entrega de alimentos e produtos frescos.

O Alibaba se recusou a comentar. Um porta-voz da Ele.me negou o plano de fusão e de captação. Todas as fontes pediram anonimato, uma vez que a informação é confidencial.

Por Kane Wu e Julie Zhu

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247