Contra estupros, PM recomenda que mulheres bebam menos; governador defende

A incapacidade do Estado em conter os índices crescentes da criminalidade e da violência em Pernambuco, em especial os casos relacionados a estupros e de agressões contra as mulheres, levou o governador Paulo Câmara (PSB) a defender as recomendações feitas pela Polícia Militar para que as mulheres tomem cuidados como evitar o excesso no consumo de bebidas alcoólicas, exposição nas redes sociais e andar em companhia de conhecidos como forma de prevenção para evitar estupros

28/05/2015- Recife- PE, Brasil- O governandor de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), durante encontro com o ministro Mangabeira Unger (Secretaria de Assuntos Estratégicos), no Palácio Campos das Princesas. Foto: Vagner Ramos/ SEI
28/05/2015- Recife- PE, Brasil- O governandor de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), durante encontro com o ministro Mangabeira Unger (Secretaria de Assuntos Estratégicos), no Palácio Campos das Princesas. Foto: Vagner Ramos/ SEI (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Incapaz de conter os índices crescentes da criminalidade e da violência em Pernambuco, em especial os casos relacionados a estupros e de agressões contra as mulheres, levou o governador Paulo Câmara (PSB) a defender as medidas recomendadas pela Polícia Militar para que as mulheres pernambucanas tomem cuidados como evitar o excesso no consumo de bebidas alcoólicas, exposição nas redes sociais e andar em companhia de conhecidos como forma de prevenção.

"A gente tem que se prevenir com uma situação atual. A situação atual exige cuidados porque a violência aumentou em nosso Estado. Não vamos dizer que não aumentou porque aumentou. Os números mostram isso. Todas as precauções que puderem ser feitas elas devem ser feitas. O momento realmente exige cautela", destacou Câmara.

Segundo os dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), os casos de estupros caíram 20% no Estado e 29% no Recife entre janeiro de 2015 e agosto de 2016. Ao todo, foram registrados 1.126 casos de estupros de ambos os sexos em Pernambuco, 965 deles contra mulheres. "Não há motivos para comemorar. A gente tem redução também de 2014 para 2015 de 17%, mas os números absolutos ainda são altos", disse o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho.

Os casos de estupro e violência sexual contra mulheres ganharam corpo após uma série de casos relatados nos últimos dias. No dia 16 de agosto, uma estudante de medicina de 29 anos foi estuprada no Parnamirim, bairro de classe média da capital pernambucana. No dia 8 deste mês, uma empresária de 32 anos foi atacada no bairro da Torre. Um outro estuprador também estaria agindo no bairro de Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana. Nesta quarta-feira (14), um outro caso, desta vez contra uma menor de 14 anos, foi relatado no bairro de San Martin.

Ao todo, Pernambuco possui 14 delegacias especializadas no combate à violência contra a mulher. Deste total, dez estão em funcionamento, sendo uma na Capital, três na Região Metropolitana e as demais estão localizadas na Zona da Mata, Agreste e Sertão.

Abaixo, as orientações repassadas pela PM de Pernambuco às mulheres:

- Evitar andar ou ficar dentro de veículos nos locais de risco, nas ruas e avenidas de baixa circulação de pessoas, mal iluminadas e com problemas de infraestrutura;
- Desviar de edificações e terrenos abandonados;
- Antes mesmo de entrar no carro para dirigir ou assim que descer do veículo, observar o entorno do estacionamento e local de parada. Se observar a presença de suspeitos, seguir em frente e acionar a polícia através do 190;
- Nas saídas sociais, evitar o exagero no uso da bebida alcoólica e tomar cuidado com a presença de pessoas estranhas e aquelas que acabou de conhecer;
- Procurar andar na companhia de pessoas de sua confiança;
- Manter sua intimidade em sigilo e evitar exposição pessoal em redes sociais;
- Nos casos em que a pessoa se sinta perseguida, tentar manter a calma e interromper o trajeto no primeiro local movimentado, de preferência lojas e locais com profissionais de segurança, e acionar, imediatamente, a polícia;
- Em situação de risco e onde haja a oportunidade de pessoas testemunharem a ação, gritar chamando pela polícia. Se estiver sob a mira de uma arma de fogo ou arma branca, que possa colocar sua vida imediatamente em risco, procurar memorizar as características físicas do criminoso e repassar, imediatamente, para a polícia.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247