Franco da Rocha tem rebelião e fuga de presos

Detentos do Hospital de Custódia André Teixeira Lima, no município de Franco da Rocha, região metropolitana de São Paulo, fizeram nesta segunda-feira 17 um motim e alguns conseguiram fugir; número de fugitivos pode chegar a 300; os presos incendiaram pelo menos três pavilhões; a unidade é destinado ao tratamento psiquiátrico de detentos

Detentos do Hospital de Custódia André Teixeira Lima, no município de Franco da Rocha, região metropolitana de São Paulo, fizeram nesta segunda-feira 17 um motim e alguns conseguiram fugir; número de fugitivos pode chegar a 300; os presos incendiaram pelo menos três pavilhões; a unidade é destinado ao tratamento psiquiátrico de detentos
Detentos do Hospital de Custódia André Teixeira Lima, no município de Franco da Rocha, região metropolitana de São Paulo, fizeram nesta segunda-feira 17 um motim e alguns conseguiram fugir; número de fugitivos pode chegar a 300; os presos incendiaram pelo menos três pavilhões; a unidade é destinado ao tratamento psiquiátrico de detentos (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bruno Bocchini - Repórter da Agência Brasil

Detentos do Hospital de Custódia André Teixeira Lima, no município de Franco da Rocha, na região metropolitana de São Paulo, fizeram hoje (17) um motim na unidade e alguns conseguiram fugir.

Os presos incendiaram pelo menos três pavilhões. Até as 19h45, o Corpo de Bombeiros não tinha recebido autorização para iniciar o combate ao fogo porque os agentes penitenciários estavam fazendo a recontagem dos detentos. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) não tem informações sobre mortos ou feridos nem sobre o número de presos que conseguiu escapar.

O Hospital de Custódia André Teixeira Lima é destinado ao tratamento psiquiátrico de detentos cumprem pena em regime fechado e semiaberto, homens e mulheres. Também há presos provisórios e em medida de segurança. De acordo com a SAP, em contagem feita no último dia 13, havia 523 presos na unidade, que tem capacidade para 594 pessoas.

No dia 29 de setembro, 470 presos fugiram do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) da cidade de Jardinópolis (SP) quando passavam por uma revista de rotina.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247