Geddel sente 'pena' do PMDB por apoio a Dilma

Presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima lamentou a decisão da maioria dos deputados do partido de manter apoio ao governo; "A Dilma vai vender a alma e setores do PMDB, não vai fazer reforma administrativa significativa e, daqui há alguns dias, o partido continua igual. Me cobrem. Pena, PMDB"; ele critica os peemedebistas ainda pela contradição por causa da defesa que o partido fez pela redução do número de ministérios; "A Dilma tem que botar a boca no trombone e dizer que quem defendeu redução de ministérios agora está lá se matando e a constrangendo por uma boquinha"

Presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima lamentou a decisão da maioria dos deputados do partido de manter apoio ao governo; "A Dilma vai vender a alma e setores do PMDB, não vai fazer reforma administrativa significativa e, daqui há alguns dias, o partido continua igual. Me cobrem. Pena, PMDB"; ele critica os peemedebistas ainda pela contradição por causa da defesa que o partido fez pela redução do número de ministérios; "A Dilma tem que botar a boca no trombone e dizer que quem defendeu redução de ministérios agora está lá se matando e a constrangendo por uma boquinha"
Presidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima lamentou a decisão da maioria dos deputados do partido de manter apoio ao governo; "A Dilma vai vender a alma e setores do PMDB, não vai fazer reforma administrativa significativa e, daqui há alguns dias, o partido continua igual. Me cobrem. Pena, PMDB"; ele critica os peemedebistas ainda pela contradição por causa da defesa que o partido fez pela redução do número de ministérios; "A Dilma tem que botar a boca no trombone e dizer que quem defendeu redução de ministérios agora está lá se matando e a constrangendo por uma boquinha" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Um dos pioneiros no movimento do PMDB contra a presidente Dilma Rousseff, o comandante do partido na Bahia, Geddel Vieira Lima, usou seu perfil no Twitter para lamentar a decisão da maioria dos deputados federais do partido de manter apoio ao Planalto no Congresso. 

"A Dilma vai vender a alma e setores do PMDB, não vai fazer reforma administrativa significativa e, daqui há alguns dias, o partido continua igual. Me cobrem. Pena, PMDB".

O ex-ministro disse ainda que está "envergonhado" por causa de seus correligionários que mantêm apoio à presidente. 

"Eu já estou ficando com pena da Dilma nessa negociação com essa bancada do PMDB que não vive sem um cargo. Estou envergonhado. Até com gente que... Deixa pra lá".

Para fechar a conta, Geddel Vieira Lima critica os peemedebistas ainda pela contradição por causa da defesa incessante que o partido tem feito pela redução do número de ministérios.

"A Dilma tem que botar a boca no trombone e dizer que quem defendeu redução de ministérios agora está lá se matando e a constrangendo por uma boquinha".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247