Justiça extingue ação do MPE contra Cleyton Alen

A Justiça extinguiu ação cautelar ajuizada pelo Ministério Público do Tocantins (MPE) contra o presidente da Fundação de Esportes e Lazer de Palmas (Fundesportes), Cleyton Alen; a arquiteta Lana Edla Costa Barbosa e a WW Construções; MPE pedia o ressarcimento do erário público, o afastamento do gestor e da arquiteta da Fundesportes e a suspensão do contrato com a empresa por supostas irregularidades na reforma do ginásio poliesportivo de Taquaruçu

A Justiça extinguiu ação cautelar ajuizada pelo Ministério Público do Tocantins (MPE) contra o presidente da Fundação de Esportes e Lazer de Palmas (Fundesportes), Cleyton Alen; a arquiteta Lana Edla Costa Barbosa e a WW Construções; MPE pedia o ressarcimento do erário público, o afastamento do gestor e da arquiteta da Fundesportes e a suspensão do contrato com a empresa por supostas irregularidades na reforma do ginásio poliesportivo de Taquaruçu
A Justiça extinguiu ação cautelar ajuizada pelo Ministério Público do Tocantins (MPE) contra o presidente da Fundação de Esportes e Lazer de Palmas (Fundesportes), Cleyton Alen; a arquiteta Lana Edla Costa Barbosa e a WW Construções; MPE pedia o ressarcimento do erário público, o afastamento do gestor e da arquiteta da Fundesportes e a suspensão do contrato com a empresa por supostas irregularidades na reforma do ginásio poliesportivo de Taquaruçu (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - A Justiça extinguiu ação cautelar inominada ajuizada pelo Ministério Público do Tocantins (MPE) contra o presidente da Fundação de Esportes e Lazer de Palmas (Fundesportes), Cleyton Alen; a arquiteta Lana Edla Costa Barbosa e a WW Construções. O órgão pedia o ressarcimento do erário público, o afastamento do gestor e da arquiteta da Fundesportes e a suspensão do contrato com a empresa.

A ação baseava-se em questionamentos sobre as obras de reforma do Ginásio de Taquaruçu, que foi entregue à população em 1º de junho de 2015 e está à disposição da comunidade para a múltipla prática esportiva e de lazer, conforme anunciou a administração.

Para o procurador geral do município,o Públio Borges, o Poder Judiciário agiu de forma isenta e responsável, especialmente por dar a Prefeitura de Palmas a oportunidade de apresentar a sua defesa antes de apreciar os pedidos liminares feitos pelo Ministério Público.

Conforme o procurador, com a devida ampla defesa e dando espaço ao contraditório, todos os fatos e questionamentos puderam ser esclarecidos na ação, sem que as medidas extremas e excepcionais fossem deferidas contra o gestor e o município.

Leia também: MPE pede afastamento de Alen da Fundesportes

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email