PSB quer ex-ministro Temporão na briga pelo RJ

Partido estuda lançar o nome do ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão, para disputar o Governo do Rio de Janeiro, de maneira a garantir musculatura para o palanque presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos; a legenda avalia, ainda, a formação de alianças com o PDT e o PSOL  e descarta união com o governador Sérgio Cabral (PMDB), que pretende lançar o vice Luiz Fernando Pezão; “Com o Pezão, nem pensar. Temos que criar alternativas novas”, disse Campos

Partido estuda lançar o nome do ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão, para disputar o Governo do Rio de Janeiro, de maneira a garantir musculatura para o palanque presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos; a legenda avalia, ainda, a formação de alianças com o PDT e o PSOL  e descarta união com o governador Sérgio Cabral (PMDB), que pretende lançar o vice Luiz Fernando Pezão; “Com o Pezão, nem pensar. Temos que criar alternativas novas”, disse Campos
Partido estuda lançar o nome do ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão, para disputar o Governo do Rio de Janeiro, de maneira a garantir musculatura para o palanque presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos; a legenda avalia, ainda, a formação de alianças com o PDT e o PSOL  e descarta união com o governador Sérgio Cabral (PMDB), que pretende lançar o vice Luiz Fernando Pezão; “Com o Pezão, nem pensar. Temos que criar alternativas novas”, disse Campos (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE247 - No intuito de fortalecer a formação de um palanque visando fortalecer a potencial candidatura presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, na Região Sudeste, o PSB estuda lançar o nome do ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão, como o seu candidato para disputar as eleições para o Governo do Estado do Rio de Janeiro. O assunto, que foi debatido na reunião da cúpula da legenda realizada esta semana, no recife, envolveu, ainda, a formação de alianças com o PDT e o PSOL. Com isso ficam praticamente descartadas as possibilidades de uma junção de forças com o governador Sérgio Cabral (PMDB), que pretende lançar como seu sucessor o vice Luiz Fernando Pezão.

“Com o Pezão, nem pensar. Temos que criar alternativas novas”, teria dito Campos durante a reunião. O posicionamento do presidente nacional da legenda socialista foi reforçado pelo líder do PSB na Câmara, deputado federal Beto Albuquerque (RS), que afirmou que a meta do partido é garantir musculatura para que o partido tenha uma candidatura presidencial competitiva.

“Há uma determinação de encaminhar todas as variáveis que definam a candidatura de Eduardo a presidente. Mas no rio não há a menor hipótese de ficar perto do pau que afundou: Sérgio Cabral, Pezão e companhia”, teria assegurado Albuquerque segundo o Globo. Campos também teria demonstrado preocupação com a situação do partido nos estados de Minas Gerais e Bahia, com destaque para a formação das chapas proporcionais.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email