Samarco pede prorrogação de prazo para pagar multa de R$ 1,2 bilhão

A mineradora Samarco e suas acionistas, a Vale e a BHP Billiton, pediram pela segunda vez a prorrogação do prazo de pagamento da multa de R$ 1,2 bilhão por danos ambientais provocados por acidente da Samarco em Mariana (MG), em novembro de 2015, que deixou 19 mortos; a Justiça de Minas Gerais determinou o pagamento da multa até o dia 9 de dezembro de 2016; em dezembro, as empresas solicitaram um prazo adicional de 30 dias para efetuar o pagamento; nesta data, a Vale informou que apresentou uma petição conjunta com a Samarco e sua sócia para prorrogar o prazo do depósito para o próximo dia 19

A mineradora Samarco e suas acionistas, a Vale e a BHP Billiton, pediram pela segunda vez a prorrogação do prazo de pagamento da multa de R$ 1,2 bilhão por danos ambientais provocados por acidente da Samarco em Mariana (MG), em novembro de 2015, que deixou 19 mortos; a Justiça de Minas Gerais determinou o pagamento da multa até o dia 9 de dezembro de 2016; em dezembro, as empresas solicitaram um prazo adicional de 30 dias para efetuar o pagamento; nesta data, a Vale informou que apresentou uma petição conjunta com a Samarco e sua sócia para prorrogar o prazo do depósito para o próximo dia 19
A mineradora Samarco e suas acionistas, a Vale e a BHP Billiton, pediram pela segunda vez a prorrogação do prazo de pagamento da multa de R$ 1,2 bilhão por danos ambientais provocados por acidente da Samarco em Mariana (MG), em novembro de 2015, que deixou 19 mortos; a Justiça de Minas Gerais determinou o pagamento da multa até o dia 9 de dezembro de 2016; em dezembro, as empresas solicitaram um prazo adicional de 30 dias para efetuar o pagamento; nesta data, a Vale informou que apresentou uma petição conjunta com a Samarco e sua sócia para prorrogar o prazo do depósito para o próximo dia 19 (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - A mineradora Samarco e suas acionistas, a Vale e a BHP Billiton, pediram pela segunda vez a prorrogação do prazo de pagamento da multa de R$ 1,2 bilhão por danos ambientais provocados por acidente da Samarco em Mariana (MG), em novembro de 2015, que deixou 19 mortos. A Justiça de Minas Gerais determinou o pagamento da multa até o dia 9 de dezembro de 2016.

Em dezembro, as empresas solicitaram um prazo adicional de 30 dias para efetuar o pagamento, que venceria nesta segunda-feira (9). Nesta data, a Vale informou que apresentou uma petição conjunta com a Samarco e sua sócia para prorrogar o prazo do depósito para o próximo dia 19.

"Em complemento aos fatos relevantes de 11 de novembro de 2016 e de 12 de dezembro de 2016, relacionados à decisão do juízo da 12ª Vara Federal da Seção Judiciária de Belo Horizonte que determinou, entre outras medidas, o depósito de R$ 1,2 bilhão pela Samarco e suas sócias, a Vale informa que as partes estão em tratativas e apresentaram hoje petição conjunta para prorrogação do prazo de prestação da garantia para o dia 19.01.2017", disse o comunicado da Vale enviada ao G1.

A União e os governo de Minas Gerais e Espírito Santo moveram uma ação civil pública contra a Samarco e suas acionistas para buscar compensações pelo rompimento de uma barragem da Samarco em novembro de 2015.

A Samarco é uma sociedade entre a Vale e a empresa anglo-australiana BHP Billiton. Cada uma das sócias é dona de 50% da companhia. Em 2015, último dado disponível, a Samarco registrou faturamento de R$ 6,48 bilhões, conforme os demonstrativos de resultados divulgados pela empresa.

A Vale não divulgou os dados financeiros de 2016. Até setembro, a empresa faturou R$ 69 bilhões e teve um lucro líquido de R$ 11,7 bilhões no período.

A BHP Billiton registrou US$ 44,6 bilhões no ano fiscal encerrado em junho de 2016, segundo seu relatório de desempenho anual.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247