Temer chama ministro, cobra fidelidade e ameaça tomar cargos do PR

Irritado com 37 deputados do Partido da República (PR) que votaram contra a reforma trabalhista, o presidente Michel Temer convocou o ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR-AL), e exigiu que ele revertesse a situação; caso contrário, todos perderiam os cargos no governo; pressão do Planalto fez Quintella atuar para  derrubar o líder do partido na Câmara, deputado Aelton Freitas (MG), que renunciou à liderança

Irritado com 37 deputados do Partido da República (PR) que votaram contra a reforma trabalhista, o presidente Michel Temer convocou o ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR-AL), e exigiu que ele revertesse a situação; caso contrário, todos perderiam os cargos no governo; pressão do Planalto fez Quintella atuar para  derrubar o líder do partido na Câmara, deputado Aelton Freitas (MG), que renunciou à liderança
Irritado com 37 deputados do Partido da República (PR) que votaram contra a reforma trabalhista, o presidente Michel Temer convocou o ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR-AL), e exigiu que ele revertesse a situação; caso contrário, todos perderiam os cargos no governo; pressão do Planalto fez Quintella atuar para  derrubar o líder do partido na Câmara, deputado Aelton Freitas (MG), que renunciou à liderança (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por eassim.net - Contrariado com 37 deputados do Partido da República (PR) que votaram contra a reforma trabalhista, Michel Temer chamou o ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR-AL) e exigiu que o mesmo revertesse a situação com a bancada. Ou isso ou todos perdem os cargos no governo.

Quintella foi chamado na quarta-feira, 03, pelos ministros do núcleo de articulação política. O deputado licenciado foi orientado para pressionar pela mudança do líder da legenda na Câmara. Na conversa, pediram a Quintella que reunisse os parlamentares da sigla com cargos no governo e cobrasse fidelidade em votações de interesse do Executivo.

Após a pressão no Planalto, Maurício Quintella atuou para derrubar o líder do partido na Câmara, o deputado deputado Aelton Freitas (MG), renunciou à liderança no mesmo dia.

Atraso – O certo é que o conturbado cenário político em Brasília pode jogar a conclusão da votação da reforma da Previdência no Congresso para o segundo semestre deste ano. Pelo menos é o que dizem lideranças da base aliada e interlocutores do governo. E a estratégia de condicionar a votação da reforma previdenciária na Câmara à apreciação da trabalhista pelo Senado pode retardar ainda mais o andamento.

 

 

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247