Vereadores aprovam projeto que reorganiza a Guarda Municipal

Os vereadores de Salvador aprovaram na sessão ordinária desta segunda-feira o substitutivo ao PL Nº 181/16, que reorganiza a Guarda Municipal; o projeto teve apoio da bancada de oposição, com exceção do vereador Hilton Coelho (PSOL), mediante compromisso assumido pela bancada governista com os representantes da categoria de instalação imediata de mesa de negociação; "Esta mesa de negociação é fundamental para a continuidade do processo de adequação da Guarda Municipal à legislação federal", disse a líder da minoria, vereadora Aladilce Souza (PC do B)

Os vereadores de Salvador aprovaram na sessão ordinária desta segunda-feira o substitutivo ao PL Nº 181/16, que reorganiza a Guarda Municipal; o projeto teve apoio da bancada de oposição, com exceção do vereador Hilton Coelho (PSOL), mediante compromisso assumido pela bancada governista com os representantes da categoria de instalação imediata de mesa de negociação; "Esta mesa de negociação é fundamental para a continuidade do processo de adequação da Guarda Municipal à legislação federal", disse a líder da minoria, vereadora Aladilce Souza (PC do B)
Os vereadores de Salvador aprovaram na sessão ordinária desta segunda-feira o substitutivo ao PL Nº 181/16, que reorganiza a Guarda Municipal; o projeto teve apoio da bancada de oposição, com exceção do vereador Hilton Coelho (PSOL), mediante compromisso assumido pela bancada governista com os representantes da categoria de instalação imediata de mesa de negociação; "Esta mesa de negociação é fundamental para a continuidade do processo de adequação da Guarda Municipal à legislação federal", disse a líder da minoria, vereadora Aladilce Souza (PC do B) (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Os vereadores de Salvador aprovaram na sessão ordinária desta segunda-feira (4) três projetos do Executivo Municipal: o substitutivo ao PL Nº 181/16, que reorganiza a Superintendência de Segurança Urbana e Prevenção à Violência (Susprev) e a Guarda Municipal; o PL Nº 180/16, que altera a Lei do Ato Olímpico (nº 7720/2009); e o PL Nº 441/15, que altera a lei que institui o Programa de Parcerias Público-Privadas do Município (Nº 6.975/ 2006).

O projeto da Guarda Municipal teve apoio da bancada de oposição, com exceção do vereador Hilton Coelho (PSOL), mediante compromisso assumido pela bancada governista com os representantes da categoria de instalação imediata de mesa de negociação.

"Esta mesa de negociação é fundamental para a continuidade do processo de adequação da Guarda Municipal à legislação federal", disse a líder da minoria, vereadora Aladilce Souza (PC do B). Joceval Rodrigues (PPS) confirmou, em nome da bancada do governo, a continuidade da negociação.

Risco

O projeto do Ato Olímpico teve os votos contrários dos vereadores Hilton Coelho e Edvaldo Brito (PSD), que justificaram argumentando posição coerente com a adotada na votação dos critérios para a Copa do Mundo (em 2009), quando também votaram contra.

Na votação do projeto das PPPs a bancada da oposição votou contra por considerar absurda a alteração da composição do Fundo Garantidor. "Da forma como está coloca em risco o patrimônio público e retira os riscos da iniciativa privada, sobretudo das empreiteiras", argumentou Hilton Coelho. O vereador Edvaldo Brito também votou contra.

Além desses projetos os vereadores mantiveram dois vetos parciais do prefeito ACM Neto a projetos de autoria dos vereadores Geraldo Júnior (SD) e Alfredo Mangueira (PMDB), e aprovaram dois projetos de iniciativa dos vereadores Suíca (PT) e Eliel Souza (PV).

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247