Amoedo: Bolsonaro não pode usar publicidade de forma discricionária

"Acredito que a verba para propaganda oficial do governo deve ser restrita apenas a campanhas de utilidade pública, tais como vacinação, matrícula, calamidades e etc. Estes recursos devem ser aplicados com critérios objetivos de relevância, e não de forma discricionária, ao gosto do governante. O dinheiro público não é dinheiro do governante, é do cidadão", disse ele

Amoedo: Bolsonaro não pode usar publicidade de forma discricionária
Amoedo: Bolsonaro não pode usar publicidade de forma discricionária (Foto: Reprodução/Facebook)

247 – A decisão do presidente Jair Bolsonaro de aprofundar a decisão de Michel Temer, que passou a utilizar recursos de publicidade federal para favorecer amigos e perseguir adversários na comunicação (saiba mais aqui), foi criticada pelo presidenciável João Amoedo, do Novo. Saiba mais abaixo:

Por João Amoedo, em seu facebook Ontem o Presidente eleito defendeu que a imprensa que se comportar "mentindo descaradamente, não terá apoio do governo federal" com a propaganda oficial do governo.

Acredito que a verba para propaganda oficial do governo deve ser restrita apenas a campanhas de utilidade pública, tais como vacinação, matrícula, calamidades e etc. Estes recursos devem ser aplicados com critérios objetivos de relevância, e não de forma discricionária, ao gosto do governante. O dinheiro público não é dinheiro do governante, é do cidadão.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247