Instituto criado por Felipe Neto prevê desfecho trágico para as eleições de 2022 e "Capitólio brasileiro"

Frágil nas urnas, Bolsonaro e seus apoiadores provavelmente tentarão melar o resultado para se manter no poder

Felipe Neto
Felipe Neto (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – "Fundado pelo youtuber Felipe Neto, o Instituto Vero projeta um possível desfecho trágico para as eleições presidenciais de 2022 caso ocorra uma combinação que relacione a circulação de fake news sem restrições determinadas por lei a uma eventual derrota de Jair Bolsonaro (sem partido) nas urnas", aponta reportagem de Herculano Barreto Filho, do Uol.

"Um relatório elaborado pelo instituto mapeou 15 projetos de lei apresentados por parlamentares da base governista em apenas um ano com o objetivo de restringir o controle das plataformas na internet contra as chamadas fake news nas redes sociais – quatro deles, inclusive, criticam a suspensão das redes sociais de Donald Trump, ex-presidente norte-americano acusado de incitar a ação no Capitólio", prossegue o jornalista.

"A gente pode ter um Capitólio brasileiro. O Bolsonaro já instiga os seus apoiadores a se armar, faz acusações reiteradas de fraude eleitoral e diz que não vai aceitar o resultado das eleições caso perca. Com uma legislação que restrinja o controle das plataformas em vigor, não seria permitido remover a conta de Bolsonaro caso ele incitasse seus apoiadores em alguma ação violenta, como uma invasão ao Congresso", diz Caio Machado, diretor do Instituto Vero e pesquisador da universidade de Oxford.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email