Mello Franco: ao politizar obrigatoriedade da vacina, Bolsonaro 'contratou' crise com o STF

O jornalista Bernardo Mello Franco afirma que Jair Bolsonaro “contratou mais uma crise com o STF” ao afirmar que ‘nenhum juiz pode decidir “se você vai ou não tomar a vacina”. Para ele, a declaração "foi uma clara provocação à Corte, que deve julgar três ações sobre o tema’

(Foto: Reprodução | Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Bernardo Mello Franco afirma, em sua coluna no jornal O Globo, que Jair Bolsonaro “contratou mais uma crise com o Supremo Tribunal Federal” ao afirmar que ‘nenhum juiz pode decidir “se você vai ou não tomar a vacina”. Foi uma clara provocação à Corte, que deve julgar três ações sobre o tema’. 

O jornalista relembra que “na sexta-feira, o ministro Luiz Fux avisou que a disputa sobre a vacina tende a ser judicializada. É o desfecho mais provável caso Bolsonaro insista em sacrificar a população para fazer guerra política”. “Ontem o capitão disse que seria “mais fácil” investir na cura do que na vacina. A declaração tenta impor um falso dilema. Cura e vacina são esperadas com a mesma ansiedade”, afirma Mello Franco.

 “Bolsonaro parece insano, mas sabe aonde quer chegar. Ao fomentar um embate com o Supremo, ele tenta repetir um truque de abril, quando tentou impedir estados e municípios de decretarem medidas de distanciamento”, observa. 

“Ao atacar a Justiça, o capitão tentou se eximir de responsabilidade pelas milhares de mortes. A tragédia humanitária seria culpa dos prefeitos, dos governadores e até dos ministros do Supremo. Menos dele, que nada fez para combater a pandemia”, completa o texto.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247