Homem que roubou a cena durante invasão no Congresso americano é um membro famoso da QAnon

Vestindo um chapéu de pele com chifres, Jake Angeli sentou-se na cadeira da presidência do Senado americano durante atos pró-golpe, contra o reconhecimento da vitória de Joe Biden. O manifestante defende a QAnon. Essa teoria da conspiração aponta a existência de uma "uma rede mundial de pedófilos adoradores de Satã" que teria o objetivo de controlar o mundo

Jake Angeli
Jake Angeli (Foto: Reprodução/Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um manifestante se destacou entre a multidão de apoiadores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nessa quarta-feira (6), onde vários participantes de um protesto invadiram o Congresso americano, que votava a oficialização de vitória obtida pelo democrata Joe Biden em novembro. Sem camisa, mas vestindo um chapéu de pele com chifres e luvas pretas, Jake Angeli foi aos corredores do Congresso empunhando uma lança da qual pendia a bandeira americana e se sentou na cadeira da presidência do Senado. As informações foram publicadas pelo jornal O Globo.

Internautas brincaram com o vestuário do homem e o associaram à banda Jamiroquai, conhecida por trazer nas capas de seus discos um homem com chifres.

O homem de 32 anos é uma das caras mais conhecidas da QAnon, teoria da conspiração que ganhou aderência na política americana durante o governo Trump. A QAnon surgiu no fórum conhecido como 4chan, muito utilizado por grupos de extrema direita. 

Em entrevista ao jornal O Globo, em agosto, Travis View, autor americano que estuda o movimento e tem um podcast sobre o assunto, afirmou que um dos pilares do grupo é a crença de que "uma rede mundial de pedófilos adoradores de Satã controla o mundo".

Ao jornal local Arizona Republic, o manifestante disse que usa o boné de pele com chifres, pinta o rosto e anda sem camisa e com calças esfarrapadas para chamar a atenção das pessoas sobre as crenças da QAnon.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247