Irã diz que não se deixará enganar por oferta de barganha dos EUA

O embaixador do Irã na ONU diz que Teerã não se ilude com a proposta de negociação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Funeral de Qassem Soleimani em Kerman, no Irã.
Funeral de Qassem Soleimani em Kerman, no Irã. (Foto: Mehdi Bolourian/Agência de Notícias Fars/WANA (West Asia News Agency) via REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O representante permanente do Irã nas Nações Unidas (ONU), Mayid Tajt Ravanchi, disse na quarta-feira (9) que seu país não tem ilusões com a proposta de diálogo dos Estados Unidos citando as histilidades de Washington com Teerã. 

"O governo dos EUA negou o visto ao ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Yavad Zarif, para participar de uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU), assassinou o general Qasem Soleimani (...) Agora Trump alega que está pronto para negociar com o Irã e chegar a um acordo. Não vejo sinceridade em seus argumentgos”, afirmou o diplomata, segundo o site iraniano HispanTV.

Em entrevista à agência IRNA, o diplomata persa, ao criticar a oferta de Trump, lembrou que Washington, durante um ano e meio, após sua saída do acordo nuclear, oficialmente conhecido como Plano de Ação Conjunta Integral, impôs várias rodadas de duras sanções no âmbito de uma política de 'pressão máxima' contra os iranianos, o que na realidade é uma forma de terrorismo econômico que ntraria o Direito Internacional.   

O embaixador iraniano condenou mais uma vez o ataque perpetrado pelos Estados Unidos no Iraque, que matou o general Qasem Soleimani e o descreveu como um ato de terrorismo da “nova etapa da hostilidade americana contra o Irã ".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247