Sanções dos EUA são declaração de 'guerra econômica', diz Rússia

A Rússia vai considerar como uma declaração de guerra econômica se os EUA impuserem proibições contra bancos ou uma moeda específica, disse o primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev; "Eu não gostaria de comentar sobre conversas sobre sanções futuras, mas posso dizer uma coisa: se uma proibição a operações bancárias ou ao uso de uma ou outra moeda vier a ocorrer, seria possível chamar isso claramente de uma declaração de guerra econômica", disse

Sanções dos EUA são declaração de 'guerra econômica', diz Rússia
Sanções dos EUA são declaração de 'guerra econômica', diz Rússia (Foto: Sputnik/Ekaterina Shtukina/Pool via Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - A Rússia vai considerar como uma declaração de guerra econômica se os Estados Unidos impuserem proibições contra bancos ou uma moeda específica, disse o primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, nesta sexta-feira, segundo a agência de notícias estatal Tass.

Primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, durante entrevista em residência oficial no arredores de Moscou 07/08/2018 Sputnik/Ekaterina Shtukina/Pool via Reuters
"Eu não gostaria de comentar sobre conversas sobre sanções futuras, mas posso dizer uma coisa: se uma proibição a operações bancárias ou ao uso de uma ou outra moeda vier a ocorrer, seria possível chamar isso claramente de uma declaração de guerra econômica", disse Medvedev.

"E seria necessário reagir a essa guerra economicamente, politicamente, ou, se necessário, por outros meios. E nossos amigos norte-americanos precisam entender isso", acrescentou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247