Sobe para 646 o número de mortos por terremoto no Equador

O número de mortos no devastador terremoto que atingiu a costa norte do Equador há uma semana saltou para 646, disse o presidente Rafael Correa neste sábado (23); embora o presidente tenha mencionado o resgate de 113 pessoas, a tragédia, a pior em quase 70 anos, deixou 130 desaparecidos, quase 12.500 feridos, 26 mil desabrigados e bilhões de dólares em perdas que irá afetar a economia do menor país da Opep, já em dificuldades

O número de mortos no devastador terremoto que atingiu a costa norte do Equador há uma semana saltou para 646, disse o presidente Rafael Correa neste sábado (23); embora o presidente tenha mencionado o resgate de 113 pessoas, a tragédia, a pior em quase 70 anos, deixou 130 desaparecidos, quase 12.500 feridos, 26 mil desabrigados e bilhões de dólares em perdas que irá afetar a economia do menor país da Opep, já em dificuldades
O número de mortos no devastador terremoto que atingiu a costa norte do Equador há uma semana saltou para 646, disse o presidente Rafael Correa neste sábado (23); embora o presidente tenha mencionado o resgate de 113 pessoas, a tragédia, a pior em quase 70 anos, deixou 130 desaparecidos, quase 12.500 feridos, 26 mil desabrigados e bilhões de dólares em perdas que irá afetar a economia do menor país da Opep, já em dificuldades (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

QUITO (Reuters) - O número de mortos no devastador terremoto que atingiu a costa norte do Equador há uma semana saltou para 646, disse o presidente Rafael Correa neste sábado.

Embora o presidente tenha mencionado o resgate de 113 pessoas, a tragédia, a pior em quase 70 anos, deixou 130 desaparecidos, quase 12.500 feridos, 26 mil desabrigados e bilhões de dólares em perdas que irá afetar a economia do menor país da Opep, já em dificuldades.

"Têm sido dias tristes para o país. O país está em crise", disse o presidente mostrando uma foto com números atualizados durante sua habitual falara para rádio e televisão. "Neste momento de crise precisamos muito calma, dedicação, sacrifício, mas com grande eficiência e eficácia."

Desde que o terremoto de magnitude 7,8 atingiu a costa do Equador no sábado passado, mais de 700 tremores secundários ocorreram, forçando as pessoas a abandonar suas casas ou dormir ao ar livre com medo de que suas casas caiam.

Segundo Correa, o país precisa de até 3 bilhões de dólares para a reconstrução das áreas devastadas, por isso ele propôs um aumento temporários de impostos, a venda de ativos não prioritários e a emissão de títulos no mercado internacional.

O aumento de impostos não vai afetar os moradores das áreas destruídas e terá de ser aprovado pela Assembleia Nacional, na qual Correa tem maioria, no prazo máximo de um mês.

Neste sábado, bancos privados anunciaram a reestruturação de dívidas dos seus clientes nas áreas adjacentes ao terremoto.

Embora o presidente tenha dito que os resgates vão continuar por até mais duas semanas, o ministro do Interior, José Serrano, disse na véspera que nas últimas 48 horas de busca não foram encontrado mais sobreviventes.

(Reportagem de Diego Ore e Julia Cobb)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247