Trump responsabiliza maduro por segurança de opositores presos

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, responsabilizou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, "pela saúde e pela segurança" dos opositores Leopoldo López e Antonio Ledezma; "Os Estados Unidos condenam as ações da ditadura de Maduro. López e Ledezma são presos políticos retidos ilegalmente pelo regime", disse Trump ; "Os Estados Unidos responsabilizam Maduro - que anunciou horas antes que atuaria contra a oposição - pela saúde de López, Ledezma e de qualquer outro detido. Reiteramos o nosso pedido pela liberdade imediata e incondicional de todos os presos políticos", acrescentou

Trump na Casa Branca 20/4/2017 REUTERS/Aaron P. Bernstein
Trump na Casa Branca 20/4/2017 REUTERS/Aaron P. Bernstein (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, responsabilizou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, "pela saúde e pela segurança" dos opositores Leopoldo López e Antonio Ledezma, os quais considerou "presos políticos retidos ilegalmente".

"Os Estados Unidos condenam as ações da ditadura de Maduro. López e Ledezma são presos políticos retidos ilegalmente pelo regime", disse Trump em comunicado, ao se referir à Venezuela como "ditadura".

"Os Estados Unidos responsabilizam Maduro - que anunciou horas antes que atuaria contra a oposição - pela saúde de López, Ledezma e de qualquer outro detido. Reiteramos o nosso pedido pela liberdade imediata e incondicional de todos os presos políticos", acrescentou Trump.

López e Ledezma, que cumpriam prisão domiciliar há algumas semanas, foram detidos na última madrugada por pensarem em um "um plano de fuga", segundo o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ).

Antes, López passou mais de três anos na prisão militar de Ramo Verde, nos arredores de Caracas, após ser condenado a quase 14 anos pela violência gerada após uma manifestação antigovernamental em 2014.

Ledezma foi detido em fevereiro de 2015, acusado de conspiração e associação para delinquir, e após dois meses em Ramo Verde, passou à prisão domiciliar por razões de saúde.

A condenação por estas detenções chega um dia após Washington ter sancionado Maduro, a quem qualificou de "ditador" pela primeira vez, com o congelamento dos ativos que possa ter sob jurisdição americana e a proibição de transações financeiras.

A decisão veio em resposta às eleições do último domingo para escolher os representantes da Assembleia Nacional Constituinte, que Washington considera uma "farsa".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247