Facebook bloqueia as postagens demasiado virais. Elas quase sempre são mentirosas

Uma nova abordagem às fake news, baseada na análise do potencial viral dos posts, promete reduzir a difusão das notícias falsas no Facebook.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por: Equipe Oásis

A guerra do Facebook contra as notícias falsas não tem trégua: na verdade, o FB adotou recentemente uma nova abordagem, chamada “disjuntor de viralidade”, com o objetivo de desacelerar e possivelmente bloquear a divulgação de notícias falsas ou enganosas, especialmente sobre o assunto CoViD-19. O sistema envolve o uso de inteligência artificial (IA) que intercepta, bloqueia e sinaliza aos moderadores da empresa as postagens que se tornam virais em pouco tempo: os conteúdos são então desbloqueados quando verificada sua veracidade.

Combate às fake news


O novo sistema de inteligência artificial (IA) do Facebook intercepta e bloqueia as notícias excessivamente virais: com muita frequência elas são notícias falsas.

De acordo com relatórios do The Interface, um blog especializado em notícias e atualizações em redes sociais, essa abordagem deve permitir uma desaceleração significativa na circulação de notícias falsas (hoaxes) e uma diminuição substancial no número de pessoas expostas a hoaxes e a fake news. O Facebook, que há muito tempo está no centro da polêmica justamente pela contribuição fundamental que daria à disseminação de conteúdo enganoso sobre vários temas, desde a política ao clima, parece agora levar muito a sério a guerra contra a desinformação sobre a covid.

105 milhões de mentiras

Desde o início da pandemia, o FB removeu 7 milhões de postagens contendo boatos falsos sobre o coronavírus (incluindo uma postada pelo presidente dos EUA, Donald Trump) e marcou mais 98 milhões como potencialmente perigosas, embora não a ponto de ter que excluí-las. O Facebook também colocou online e mantém atualizado o seu Covid Information Center, onde oferece conteúdo e atualizações sobre a pandemia retirados de fontes verificadas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email