Cardozo critica 'medida que afronta a democracia'

Ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, diz que “não há justa causa para o impeachment de Dilma Rousseff”; “Não se pode pacificar o País fora da lei e da Constituição”, afirma; ele não se diz surpreso com o apoio do PSDB ao processo: “Desde o anúncio das eleições eles buscam reverter o resultado das urnas das mais variadas formas; a novidade é que pessoas que lutaram contra a ditadura parece que agora acreditam que a melhor saída para o País é uma medida que afronta a Constituição e os mais elementares princípios democráticos” 

Ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, diz que “não há justa causa para o impeachment de Dilma Rousseff”; “Não se pode pacificar o País fora da lei e da Constituição”, afirma; ele não se diz surpreso com o apoio do PSDB ao processo: “Desde o anúncio das eleições eles buscam reverter o resultado das urnas das mais variadas formas; a novidade é que pessoas que lutaram contra a ditadura parece que agora acreditam que a melhor saída para o País é uma medida que afronta a Constituição e os mais elementares princípios democráticos” 
Ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, diz que “não há justa causa para o impeachment de Dilma Rousseff”; “Não se pode pacificar o País fora da lei e da Constituição”, afirma; ele não se diz surpreso com o apoio do PSDB ao processo: “Desde o anúncio das eleições eles buscam reverter o resultado das urnas das mais variadas formas; a novidade é que pessoas que lutaram contra a ditadura parece que agora acreditam que a melhor saída para o País é uma medida que afronta a Constituição e os mais elementares princípios democráticos”  (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, voltou a rebater os argumentos pelo afastamento de Dilma Rousseff e disse que "não há justa causa para o impeachment": “Não se pode pacificar o País fora da lei e da Constituição”, afirmou, em entrevista ao 'Estado de S. Paulo'.

Ele não se disse surpreso com o apoio do PSDB ao processo: “Desde o anúncio das eleições eles buscam reverter o resultado das urnas das mais variadas formas; a novidade é que pessoas que lutaram contra a ditadura parece que agora acreditam que a melhor saída para o País é uma medida que afronta a Constituição e os mais elementares princípios democráticos”.

O PSDB se reuniu ontem para 'afinar' o discurso em apoio ao golpe. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email