Comissão de Ética pode mudar destino de Pimentel

Se for inocentado, ministro do Desenvolvimento poder alar voos mais altos no governo

Comissão de Ética pode mudar destino de Pimentel
Comissão de Ética pode mudar destino de Pimentel (Foto: WILLIAM VOLCOV/AGÊNCIA ESTADO)

247 – A convocação do ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, à Comissão de Ética Pública da Presidência da República está sendo interpretada em Brasília de um modo diferente do que parece à primeira vista. O chamado, afinal, soa como a reabertura de um caso que já havia sido politicamente superado, com a ultrapassagem no Congresso das denúncias em torno dos honorários de R$ 2 milhões que ele recebeu como consultor de empresas entre 2009 e 2010. Em parte desse período, Pimentel foi um dos chefes da campanha Dilma Rousseff para presidente.

Em lugar, porém, de enxergar na ida ao Conselho um problema para Pimentel, o que se diz também é que mais essa investigação poderá representar a completa redenção do amigo pessoal de Dilma. Se for inocentado, ele estará leve o suficiente para voos maiores, podendo escalar novos patamares no governo.

A oposição, é claro, comemorou a convocação do ministro. O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), afirmou que o chamado vale como um aval para Pimentel também dê explicações ao Congresso Nacional sobre suas consultorias. Dias lembrou que uma convocação de Pimentel deve ser avaliada nesta quarta-feira pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado:

- Espero que a bancada majoritária do governo tenha a mesma conduta que o Conselho de Ética e permita que o ministro vá ao Congresso.

Já o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA), disse não ver necessidade de que Pimentel vá ao Congresso dar explicações:

- É uma bobagem. Se a Comissão já está apurando o caso, não há motivo para que o ministro seja convocado. Ficam querendo antecipar as coisas. Vamos esperar a conclusão dos trabalhos e ver seus desdobramentos.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247