Fachin é relator de pedido de Lula para que CNMP seja obrigado a julgar Dallagnol

Nesta quinta-feira a defesa do ex-presidente Lula enviou ao Supremo um pedido para que a Corte atue e faça com que o CNMP julgue o coordenador da Lava Jato de Curitiba, Deltan Dallagnol, pelo caso PowerPoint. O julgamento já foi adiado 41 vezes

Ministro Edson Fachin durante sessão plenária do STF. (20/02/2020)
Ministro Edson Fachin durante sessão plenária do STF. (20/02/2020) (Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do STF Edson Fachin será o relator, segundo Bela Megale, do jornal O Globo, de um pedido da defesa do ex-presidente Lula para que a Corte obrigue o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) a julgar o coordenador da Lava Jato de Curitiba, Deltan Dallagnol, caso do PowerPoint contra Lula.

O caso prescreve em setembro e já foi adiado pelo CNMP por 41 vezes em quatro anos. Advogados do ex-presidente querem que o conselho julgue se houve desvio funcional de Dallagnol e outros procuradores da Lava Jato na apresentação de um PowerPoint que tentava incriminar Lula.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247