Lula decide não legitimar a eleição fraudulenta

Os raros momentos de irritação do ex-presidente Lula na Superintendência da Polícia Federal do Paraná são aqueles em que o tema é a indicação de um candidato a presidente em seu lugar, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo; segundo a jornalista, as palavras de Lula foram: “querem que eu legitime o processo eleitoral sem a minha presença?”; cada vez mais líder nas pesquisas em todo o território nacional, o ex-presidente prossegue como candidato oficial do PT e articula de maneira colegiada os próximos passos da campanha

Lula decide não legitimar a eleição fraudulenta
Lula decide não legitimar a eleição fraudulenta (Foto: Reuters)

247 – Os raros momentos de irritação do ex-presidente Lula na Superintendência da Polícia Federal do Paraná são aqueles em que o tema é a indicação de um candidato a presidente em seu lugar, informa a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo. Segundo a jornalista, as palavras de Lula foram: “querem que eu legitime o processo eleitoral sem a minha presença?”. Cada vez mais líder nas pesquisas em todo o território nacional, o ex-presidente prossegue candidato e articula de maneira colegiada os próximos passos da campanha.

“Ele [Lula] tem relatado a interlocutores diálogo que diz ter tido com integrantes do PCdoB. Eles teriam dito que a demora poderia fazer a situação ficar pior. “Pior para quem, gente?”, teria respondido o ex-presidente, que está preso há cem dias.

‘Querem que eu legitime o processo eleitoral sem a minha presença?’, seguiu. ‘Lula não quer sair de cena. Para ele é muito difícil, moralmente e politicamente’, diz um aliado que apoia a decisão.”

Leia mais aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247