"Nossa causa é a soberania do Brasil e dos brasileiros", diz Lula

“Queremos voltar para que ninguém nunca mais ouse desafiar a democracia e para que o fascismo seja devolvido ao esgoto da história de onde nunca deveria ter saído”, reforçou

www.brasil247.com - Lula
Lula (Foto: Reprodução/Youtube)


247 - Em discurso histórico no lançamento de sua pré-candidatura à presidência, neste sábado, 7, o ex-presidente Lula (PT) reforçou que lutará para “restaurar a soberania do Brasil e do povo brasileiro”.

O evento ocorreu no Expo Center Norte, em São Paulo (SP), e contou com a presença de lideranças de todos os partidos que compõem federação ou coligação com o PT, como Guilherme Boulos, Randolfe Rodrigues, Marcelo Freixo, além da cúpula da campanha e apoiadores mais próximos, como a ex-presidente Dilma Rousseff, o presidente da Fundação Perseu Abramo, Aloizio Mercadante, e dezenas de parlamentares. 

Presenças destacadas foram as dos líderes dos partidos que compõem a Federação Partidária - Gleisi Hoffmann (PT), Carlos Siqueira (PSB), Luciana Santos (PCdoB), José Luiz Penna (PV). E dos partidos que se coligam com o PT na eleição majoritária, como Juliano Medeiros (PSOL), Paulinho da Força (Solidariedade) e Heloísa Helena (REDE)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Também estavam presentes lideranças de centrais sindicais e movimentos sociais, e muitos trabalhadores assistindo ao lançamento. Antes de Lula, o ex-governador Geraldo Alckmin, que não esteve presente por estar infectado com Covid-19, realizou um discurso no qual ressaltou que o ex-presidente petista é a “única via” da esperança do Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Soberania

Lula denunciou a entrega do patrimônio brasileiro e a destruição de políticas públicas, “que mudaram a vida de milhões de brasileiros e eram admiradas e adotadas mundo afora”, como o Bolsa Família.

O ex-presidente defendeu “garantir os direitos de uma democracia plena, a alimentação de qualidade, o bom emprego, o salário justo, os direitos trabalhistas, o acesso à saúde e à educação, recuperar a política altiva e ativa que elevou o Brasil à condição de protagonista no cenário internacional”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O Brasil era um país soberano, respeitado no mundo inteiro, que falava de igual para igual com os países mais ricos e poderosos, ao mesmo tempo em que contribuia para o desenvolvimento dos países pobres”, na América Latina e na África, disse Lula, reforçando novamente que pretende reatar os laços de cooperação com os país do chamado “terceiro mundo”. Nesse sentido, o ex-presidente destacou a importância da “integração da América do Sul, da América Latina e do Caribe [...] fortalecendo novamente o Mercosul, a Unasul, a Celac e os Brics [...] sem submissão a quem quer que seja”.

“O Brasil é grande demais para ser relegado a esse triste papel de pária do mundo por conta da submissão do negacionismo, truculência e agressão a nossos principais parceiros comerciais”, argumentou, numa crítica ao governo de Jair Bolsonaro (PL).

Petrobrás e privatizações

Segundo Lula, um aspecto importante da soberania nacional é a Petrobrás, “que vem sendo desmantelada e sucateada dia após dia” pelo governo Bolsonaro. Por isso, ele denunciou a entrega do Pré-sal, da BR Distribuidora e dos gasodutos, assim como a paralisação e a privatização de refinarias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Somos autossuficientes em petróleo, mas pagamos por uma das gasolinas mais caras do mundo, pagando em dólar, enquanto brasileiros recebem em reais”, lembrou. “Precisamos fazer com que a Petrobras volte a ser uma grande empresa nacional e se transforme mais uma vez numa das maiores empresas do mundo. Colocá-la de novo a serviço do povo brasilerio e não dos grandes acionistas estrangeiros. Fazer do pré-sal o nosso passaporte para o futuro, financiando a educação, a saúde e a ciência”, disse Lula, um dia após a empresa, sob o comando de Bolsonaro, distribuir R$ 48,5 bilhões em dividendos a acionistas, enquanto o povo passa fome e sofre com a inflação.

O ex-presidente também denunciou que a privatização da Eletrobras é um “crime de lesa pátria” que ataca a “soberania energética” do país, e destacou a importância de defender os bancos públicos, as universidades e instituições de ciência e tecnologia, a Amazônia, o financiamento de obras de saneamento e moradia, entre outros pontos.

Inclusão social e Bolsonaro

Ele reforçou que não precisa prometer nada, apenas apresentar “o imenso legado” dos governos petistas, e denunciou a perseguição política que sofreu, e que agora foi reconhecida internacionalmente. Destacou que sua missão é a luta pela inclusão social.

Lula também fez duras críticas ao governo federal e a Bolsonaro. “Poucas vezes na história, a nossa independência esteve tão ameaçada”, destacou. “Infelizmente nem todo governante é capaz de entender, sentir e respeitar a dor alheia. Não é digno desse título um governante incapaz de inverter uma única lágrima diante de seres humanos revirando caminhões de lixo em busca de comida e outros mais de 660 mil brasileiros mortos pela Covid. Pode até se dizer cristão, mas não tem amor ao próximo”, declarou.

“Tudo o que fizemos e o povo brasilerio conquistou está sendo destruído no atual governo”, afirmou, lembrando que o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Onu. “Mas não vamos desistir, porque a causa pela qual lutamos é o que nos mantêm vivos”, disse. “Queremos voltar para que ninguém nunca mais ouse desafiar a democracia e para que o fascismo seja devolvido ao esgoto da história de onde nunca deveria ter saído”, declarou.

“Não há força maior do que a esperança de um povo que sabe que pode voltar a ser feliz. A esperança de um povo que sabe que pode voltar a comer bem, ter um bom emprego, um salário digno e direitos trabalhistas; que pode melhorar de vida e ver seus filhos crescendo com saúde até chegar na universidade e virar doutor. É preciso cuidar e nós vamos outra vez cuidar com muito carinho do Brasil e do povo brasilerio”, disse.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email