Witzel não cai no jogo das baixarias do clã Bolsonaro e critica intolerância

"Vamos unir esse povo, chega de discórdia e intolerância, nós precisamos de fraternidade", disse o governador do Rio de Janeiro, que vem sendo acusado pela família Bolsonaro de interferir na investigação do MP-RJ que atinge Flávio

O governador Wilson Witzel
O governador Wilson Witzel (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), deu uma declaração contra a “discórdia e a intolerância” e defendeu a “fraternidade” em declaração feita nesta sexta-feira 20, em um recado indireto a Jair Bolsonaro, que tem acusado Witzel de interferir no Ministério Público do Estado para atingi-lo.

"Vamos unir esse povo, chega de discórdia e intolerância, nós precisamos de fraternidade", disse, em evento em que anunciou a reestruturação do programa das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) a partir de 2020.

Em vídeo divulgado nesta quinta-feira 19, o senador Flávio Bolsonaro, alvo de operação do MP-RJ que apura a “rachadinha” em seu gabinete da Alerj, quando era deputado estadual, insinuou que Witzel tinha uma “empregada fantasma”, e que ela seria filha do juiz que autorizou a operação, Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, titular da 27ª Vara Criminal do Rio.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247