Amoêdo diz que tentativa do Novo de criar CPI contra STF e TSE estimula o golpismo: ‘Inaceitável’

Deputados bolsonaristas se referem ao colegiado como “CPI do Abuso de Autoridade”. Trata-se, porém, de uma reação às decisões do ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE

www.brasil247.com - João Amoêdo
João Amoêdo (Foto: Divulgação)


Carta Capital - Ex-presidente do Novo e ex-candidato à Presidência da República, o empresário João Amoêdo criticou a mobilização de seu partido para abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito contra o Tribunal Superior Eleitoral e o Supremo Tribunal Federal.

A iniciativa partiu do deputado federal Marcel van Hattem (Novo-RS). Segundo ele, 181 deputados assinaram o requerimento – 10 a mais que o mínimo necessário. Deputados bolsonaristas se referem ao colegiado como “CPI do Abuso de Autoridade”. Trata-se, porém, de uma tentativa de reagir especialmente a decisões de Alexandre de Moraes, presidente do TSE e ministro do STF.

“É inaceitável o Novo liderar o pedido de CPI contra o STF e o TSE nesse momento. Uma ação que tem como objetivo incentivar a manutenção de manifestações golpistas e tumultuar a democracia. O partido descumpre seu estatuto e se distancia ainda mais dos princípios da sua fundação”, escreveu Amoêdo nas redes sociais.

Leia a íntegra na Carta Capital.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247