Bolsonaro defende intervenção militar: ‘nós queremos o artigo 142’

“Nós queremos fazer cumprir o artigo 142. Todo mundo quer fazer cumprir o artigo 142”, afirmou Jair Bolsonaro ao ressaltar que “não existe mais AI-5”

Bolsonaro participa de ato por intervenção militar
Bolsonaro participa de ato por intervenção militar (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  Em reunião ministerial do governo federal, de 22 de abril, Jair Bolsonaro defendeu o artigo 142 da Constituição, que permite a intervenção militar no País. Ele falou que está “se lixando” sobre manifestantes que levantaram placas em defesa do AI-5 (que consolidou a Ditadura Militar de 1964 com mais repressão e censura), pois “não existe mais”.

Ele destacou, porém, que defende a intervenção militar. “Nós queremos fazer cumprir o artigo 142. Todo mundo quer fazer cumprir o artigo 142”, afirmou. Ele ainda destacou que para ele defender a ditadura e os militares de direita não é problema e que ninguém fala nada quando ocorrem atos de apoio a dirigentes de esquerda Che Guevara e Mao Tse-Tung na Câmara de Deputados e quando os partidos de esquerda fazem congressos em defesa de Fidel Castro. Confira um trecho.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247