Fachin: ataques que buscam desestabilizar 'tabuleiro democrático' ofendem a Constituição

O presidente do TSE teve um encontro com advogados bolsonaristas que pediram uma reunião com ele para conversar sobre o processo eleitoral

www.brasil247.com - Edson Fachin
Edson Fachin (Foto: Reuters)


247 - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, afirmou nesta segunda-feira (8) que os ataques às instituições eleitorais para a "desestabilização do tabuleiro democrático" ofendem a Constituição. O ministro teve um encontro com advogados bolsonaristas que pediram uma reunião com ele para conversar sobre o processo eleitoral.

"O ataque às instituições eleitorais como pretexto para a repartição de cólera e para a desestabilização do tabuleiro democrático ofende, frontalmente, inúmeros preceitos constitucionais. Permanecerá, portanto, repelido, de acordo com a legalidade, pelo Poder Judiciário, seja no papel de esclarecimento à sociedade, seja no exercício jurisdicional, tendente à efetivação do esquema normativo de responsabilização", disse Fachin.

De acordo com o ministro, "é preciso assinalar que a retórica incendiária baseada em desinformação viola o direito e produz efeitos sociais extremamente nocivos, semeando a conflituosidade, colocando instituições e pessoas em rota de colisão, e atraído a perspectiva de violência em diversos níveis". "A Justiça Eleitoral atuará de modo firme, a evitar que as pseudoafirmações de fraude comprometam a paz e a segurança das pessoas e arrisquem a eficácia da escolha popular", afirmou. 

Jair Bolsonaro (PL) tem criticado o sistema eleitoral brasileiro e defendido que as Forças Armadas trabalhem na apuração do resultado da eleição. O ocupante do Planalto tenta passar à população a mensagem de que o Poder Judiciário atrapalha o seu governo. Partidos de oposição denunciam a possibilidade de ele tentar um golpe se for derrotado em outubro. 

No começo de julho, Fachin assinou um acordo com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, para que a OEA seja um observador internacional nas eleições deste ano.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email